Nordeste

Prefeito de Salvador projeta Carnaval em outubro se houver vacinação

Metrópoles | 15/02/21 - 11h57

Nome em ascensão na política brasileira após vencer a eleição para prefeito de Salvador em primeiro turno com 64% dos votos, Bruno Reis (DEM), herdeiro político do antecessor ACM Neto, é da turma que acha cedo para discutir as opções de 2022, mas não se furta de participar do debate nacional com posições fortes, bem ao estilo do padrinho.

Esse advogado de 43 anos que inicia o primeiro mandato como chefe do Executivo concedeu entrevista ao programa Poder em Foco, do SBT, ancorado pela jornalista Roseann Kenndy e que teve como convidada a reportagem do Metrópoles para a edição que foi ao ar na noite desse domingo (14/2).

Gestor de uma Cidade que tem no Carnaval uma das principais marcas, Reis lamentou na entrevista a restrição imposta este ano pela pandemia de coronavírus e explicou como tem trabalhado para não deixar sem renda quem vive de eventos e turismo na cidade.

“Conseguimos pagar quase R$ 18 milhões em auxílio, que continua a ser pago. Isso vem segurando essa galera, por enquanto, mas não tenha dúvida que a gente precisa concluir o processo de vacinação para, com incentivos fiscais, recuperar nossa capacidade de empreender, de promover esses eventos”, disse ele na conversa, feita por videoconferência.

Reis condiciona a realização de um Carnaval fora de época na cidade à vacinação em massa contra a Covid-19. “Queremos vacinar, queremos comprar vacina se o governo federal permitir. Fomos a primeira capital brasileira a concluir a vacinação com as doses disponíveis e tivemos que pedir mais ao governo federal”, discursou o prefeito.

“Sem a certeza das doses, porém, não há como prever uma data para realização do Carnaval, não dá para saber se poderemos fazer nos mesmos moldes do Carnaval tradicional. Vai depender se todos atores tiverem condição de participar. E há uma preocupação de fazer isso antes do mês de outubro, para não ficar muito próximo do Carnaval de 2022”, explicou.