Nordeste

Presidente do Ceará critica elenco e garante mudanças para 2020

Diário do Nordeste | 10/12/19 - 16h08
Marcelo Vidal / Ceará

O ano de 2020 já começou para o Ceará. Em coletiva realizada no fim da tarde de ontem, na sede do clube, o presidente Robinson de Castro fez diversas críticas a todos os setores e enumerou os vários erros cometidos nesta temporada, a começar pelo campo.

Afirmando que 2019 foi um "ano medíocre", o mandatário alvinegro irá repaginar vários departamentos do Vovô para que, no próximo ano, o torcedor alvinegro volte a sorrir e comemorar títulos. "Uma campanha medíocre. Me sinto responsável por ser o presidente. Ficamos devendo muito. Deixamos de fazer a nossa parte", lamentou Robinson de Castro. A primeira mudança ocorre no setor do futebol.

Além de ter confirmado que não irá seguir como diretor de futebol, dando mais liberdade à diretoria, Robinson de Castro também anunciou a saída de Marcelo Segurado, então gerente de futebol do clube. "Temos que fazer algumas reflexões e a primeira é fazer uma reestruturação no departamento de futebol. Começa com mudanças de pessoas, processos e perfil. A gente já acertou a saída do Marcelo Segurado. Agradeço o trabalho que desenvolveu. Nosso acesso em 2017 e permanência em 2018 foram com ele. E agora de 2019 para 2020, mesmo com todos os percalços. Temos que ser justos com as pessoas. Contribuiu, mas chegou um ciclo e temos que buscar um novo nome", analisou.

Apesar de não parecer ter evoluído com os erros cometidos na temporada passada, quando também por muito pouco não acabou rebaixado para a Série B, o Ceará tem algo para se orgulhar, pois é a primeira vez na história que uma equipe do futebol cearense irá disputar a elite do futebol brasileiro pelo terceiro ano seguido na era dos pontos corridos. "Tínhamos que lutar para nos manter porque seria extremamente importante uma sequência de três anos seguidos na Série A. Uma coisa difícil para um clube do Nordeste, que está fora do eixo Sul-Sudeste. Nós tivemos uma transformação muito grande", acrescentou.

Autocrítica

Assumindo os erros cometidos dentro e fora do campo, o presidente alvinegro comentou a mudança que haverá na hora de contratar atletas. Na opinião de Robinson, é preciso buscar por jogadores com mais "sangue no olho" e, claro, um finalizador que tenha fome de gol. "O Ceará é um time grande, de massa. É o maior clube do Estado e a gente precisa superar esse momento. Não é só falando ou justificando, mas entregando ao torcedor um time competitivo, que o torcedor tenha orgulho quando entra em campo, que vibre com o jogador e não fique no marasmo em campo que a gente não consegue ver sangue no olho. Vamos buscar jogadores que finalizem. Foi um outro problema que tivemos neste ano: encontrar jogadores de finalização. Temos que buscar isso. Qualificar o elenco, fazer todas as medidas possíveis dentro de um novo planejamento", prometeu.

Mas as mudanças não irão acontecer somente ao que se refere as quatro linhas. Fora dela, o Ceará pensa também em seguir crescendo e os primeiros passos serão fazer parte do quadro de clubes que têm sua marca própria; trazer novamente o torcedor para perto do clube; e melhorar o departamento de marketing. "Vamos passar a ter a marca própria a partir do próximo ano, novas lojas, nova forma de relacionamento com o torcedor, novo programa de sócios. Estamos trazendo tudo isso para dentro do clube com o objetivo de criar uma nova configuração de relacionamento com o torcedor e tivemos que segurar até agora porque o campo não permitia".

A inauguração da nova marca deve acontecer já nesta semana, segundo disse o presidente. "Temos que repaginar também nosso setor de marketing, melhorar mais ainda. Entender um pouco essa coisa de preço de sócio e ingresso. Muitas vezes, coloquei ingresso maior e saímos com prejuízo do estádio, e com preço mais baixo e saímos com algum dinheiro. Subir o preço significa mais resultado ou não? Vamos fazer todas essas análises, entender o tamanho do bolso do nosso torcedor para trazê-lo para dentro do estádio, fazê-lo viver o projeto. Isso é fundamental", afirmou.

Decepção

Uma coisa é certa: Robinson de Castro não ficou nada satisfeito com o desempenho do time ao decorrer do Campeonato Brasileiro. Apesar de até ter iniciado de uma forma que parecia prometer alegrias ao seu povo, o Vovô foi caindo de rendimento e viu o rebaixamento querendo bater em sua porta. Pensando em fazer com que 2020 seja de mais alegrias do que tristezas, o presidente já trabalha nas alterações no elenco para a próxima temporada. "Essa semana devemos começar um trabalho na busca de atletas. Alguns vão terminar seus contratos, receber seus direitos e vão embora. Outros vamos avaliar se merecem ficar ou não. Vamos ter um olhar na nossa categoria de base, onde tivemos um ano muito bom. Então, temos que replanejar. Não dá para atuar em três competições no começo do ano sem ter um bom planejamento. Tem que ter algo bem planejado desde o início", finalizou o dirigente.