Nordeste

Presidente do Fortaleza se reúne com representantes do bilionário russo

Diário do Nordeste | 03/03/20 - 20h09
Arquivo Pessoal

O encontro, enfim, aconteceu. Nesta terça-feira (3), o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, se reuniu com os representantes do bilionário russo Ivan Savvidis em São Paulo. O magnata é proprietário do clube grego PAOK e tem interesse em fazer um investimento na América do Sul, incluindo a aquisição de uma equipe de futebol.

No Brasil, a família Savvidis é representada por Eduardo e Leonardo Cornacini, empresários que trabalham com atletas na empresa Left Sports. Havia expectativa de que o encontro fosse na partida contra o Independiente, pela Sul-Americana, após convite da diretoria do Fortaleza, no entanto os compromissos da dupla impediram que o convite fosse aceito.

Em contato com a reportagem, Paz ressaltou que não se trata de um avanço na negociação, mas de uma formalidade para maior entendimento entre as partes. "Nós sempre conversamos, só que nunca pessoalmente. O encontro foi para estreitar essa relação, sem discussão de detalhes ou definições de parceria", explicou.

O dirigente tricolor também declarou que os empresários ressaltaram que o Fortaleza é o único alvo do investimento no país. Apesar disso, a ida do dirigente para São Paulo foi motivada por uma participação no programa 'Bola da Vez', da ESPN.

INTERESSE NO FORTALEZA

A escolha do Fortaleza por Ivan Savvidis foi motivada pela festa da torcida, as conquistas recentes do clube e a possibilidade de crescimento em cenário nacional - pontos traçadas através de um estudo das próprias empresas de Ivan, que apontaram o clube como um dos times com maior potencial de se tornar autossustentável.

"Tivemos a certeza de que o Fortaleza Esporte Clube está em ótimas mãos. Grande gestor e profissional. Obrigado, presidente Marcelo Paz, por toda a atenção e disponibilidade por todo o processo", publicou Leonardo Cornacini em rede social.

Desde janeiro, uma grupo de advogados estuda a legislação brasileira para sinalizar sobre a viabilidade do negócio. Inicialmente, o objetivo é realizar a aquisição do time. Caso não haja nenhuma possibilidade, há formatos de parceria observados - entre patrocínio, co-gestão ou intercâmbio de atletas -, mas são planos alternativos.