Brasil

Quem são as blogueiras acusadas de golpes que ostentam vida de luxo

Metrópoles | 13/08/21 - 15h25 - Atualizado em 13/08/21 - 15h31
Reprodução

Por trás da vida de luxo ostentada nas redes sociais, cinco mulheres que se apresentavam como influenciadoras e blogueiras acabaram acusadas por estelionato e formação de quadrilha. O juiz Marcello Rubioli, da 1ª Vara Criminal Especializada, decretou nesta sexta-feira (13/8) uma nova ordem de prisão das cinco acusadas, com base em denúncia feita pelo Ministério Público.

As cinco mulheres foram presas no mês passado, mas conseguiram o aval da Justiça para sair. Ao deixar a prisão, elas comemoraram com festa regada a champanhe, caipirinha, doces e salgados. E não se intimidaram: as imagens da celebração foram publicadas no Instagram. De acordo com a denúncia apresentada pelo MP, as mulheres se passavam por representantes de bandeiras de cartão de crédito para roubar dados das vítimas abordadas, inicialmente, por telefone.

Na primeira abordagem, a quadrilha entrava em contato com uma vítima em potencial e avisava que seu cartão de crédito foi clonado. Quem era enganado nesse contato acabava ligando, por orientação das golpistas, para uma central de atendimento que supostamente seria a do banco emissor do cartão. Mas, na verdade, era a central clandestina montada pela quadrilha na zona oeste do Rio.

Saiba quem é quem na quadrilha

Anna Carolina de Sousa Santos, de 32 anos, moradora do Rio de Janeiro. Formada em Administração de Empresas, se apresenta como blogueira e dona de um comércio de bijuterias. Nas redes sociais, aparece em boates e festas. Faz pose em passeios de lancha e hotéis cinco estrelas. Quando foi presa, em julho, foi flagrada pela polícia ao telefone com uma potencial vítima do golpe.

Rayane Sousa Silva, de 28 anos, moradora do Rio de Janeiro. Seguia a mesma agenda social de Anna Carolina. As duas apareciam sempre juntas nas fotos de festas publicadas em redes sociais. Ao sair da prisão, postou em rede social as imagens da festa regada a champanhe. A comemoração foi considerada uma afronta à Justiça pelo juiz Marcello Rubioli que decretou a prisão. Segundo as investigações, Rayane fazia o contato com as vítimas no primeiro contato telefônico.

Gabriela Silva Vieira, de 20 anos, moradora de São Paulo, a mais nova do grupo. Na denúncia do Ministério Público, ela é apontada pela participação em um segundo momento do golpe. Ela se apresentava como aluna do último período de um curso de Relações Internacionais. Também dizia ter um comércio de lingeries nas redes sociais.

Yasmim Navarro, de 25 anos, moradora de São Paulo. Apontada como líder do grupo. O pai dela, Alexandre Navarro, também é suspeito de envolvimento com a quadrilha. Foi ela quem abriu a porta para os policiais que prenderam o grupo no dia 7 de julho no apartamento do Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio, onde funcionava o QG das criminosas, segundo a polícia.

Mariana Serrano de Oliveira, de 27 anos, moradora de São Paulo. É acusada de convencer os clientes a passar os dados dos cartões em um primeiro momento do golpe.