Geral

Ronaldinho Gaúcho culpa empresário do DF por passaporte falso

Metrópoles | 05/03/20 - 10h50 - Atualizado em 06/03/20 - 15h30
Reprodução Twitter/MP Paraguai

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho está detido no Paraguai desde a noite dessa quarta-feira (04/03) sob suspeita de portar passaporte falso ao lado do irmão, Roberto Assis. De acordo com o comissário Gilberto Fleitas, diretor de Investigação de Fatos Puníveis da Polícia Nacional, o astro brasileiro atribuiu a confusão com os documentos ao empresário Wilmondes Sousa Lira, que o representa no país.

“Eles estavam em uma mesa jantando e (disseram) que quem facilitou foi o brasileiro Wilmondes Souza Lima, que é de Brasília, que é conhecido pelos brasileiros”, afirmou Fleitas, em entrevista à rádio paraguaia ABC Cardinal. “É uma pena que um ídolo mundial esteja passando por isso. Estamos diante de um fato punível, ainda mais quando se trata de um documento oficial”, completou.

Assim como Ronaldinho e Roberto Assis, Wilmondes foi detido pela polícia paraguaia e prestará esclarecimentos.

Investigação está em curso

Também em entrevista à rádio ABC Cardinal, o ministro do Interior, Euclides Acevedo, disse que será aberta uma investigação. “Nós não só estamos querendo investigar a adulteração, mas também as autoridades que permitiram esta irregularidade de procedimento”, disse. Ele acrescentou que os documentos teriam sido adulterados “para por os nomes dessas pessoas e que por isso foi feita uma denúncia”. “Como autoridades de Estado, não podemos permitir esse tipo de adulteração, seja de quem for.”

A Procuradoria paraguaia declarou no início da madrugada desta quinta que foram encontrados vários documentos paraguaios com o nome do jogador e de seu irmão. “A investigação está em curso”, informou o órgão.