Saúde

“Se não houver conscientização, adotaremos medidas restritivas”, diz Ibaneis sobre a Covid-19 no DF

Metrópoles | 01/12/20 - 10h53
Jaqueline Lisboa/Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha (MDB) comentou, nesta terça-feira (1º), sobre o aumento da taxa de transmissão da Covid-19 no DF, a chamada segunda onda de contaminação. O chefe do Executivo local disse que fará, ainda nesta terça, uma reunião com o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, e os representantes de bares, restaurantes e da Fecomércio, para avaliar medidas a serem tomadas.

“Eu pedi a ele que nos reuníssemos para que a gente tenha, primeiramente, um movimento de conscientização. Caso contrário, nós vamos adotar algumas medidas restritivas que serão necessárias, principalmente no que diz respeito aos bares, onde temos visto uma aglomeração muito grande”, disse Ibaneis.

As declarações do governador foram feitas no final de uma agenda, onde foi assinado o decreto do projeto urbanístico da URB 05 de Arniqueira. Ao final do encontro, o chefe do Executivo conversou com jornalistas, onde comentou sobre a situação da pandemia no DF.

Segundo o gestor, durante o fim de semana, equipes do DF legal visitaram vários locais e que foram registradas diversas autuações a estabelecimentos. Com a informação em mãos, Ibaneis demonstrou preocupação e prometeu tomar medidas, caso donos de bares e restaurantes não se comprometam de forma eficiente no combate ao coronavírus. 

“Ou eles partem para nos ajudar na conscientização, ou infelizmente – ou felizmente, porque tenho que cuidar da saúde da população – vou ter que encerrar o expediente desses locais cada vez mais cedo e implementar restrições em relação a quantidade de pessoas. Isso tudo está em estudo. Primeiro eu parti para a conversa. Caso contrário, vamos adotar medidas para proteger a população”, disse.

Nessa segunda-feira, o secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, detalhou, em entrevista coletiva, as medidas de enfrentamento a uma possível segunda onda do novo coronavírus na capital da República. O chefe da pasta disse que houve um aumento na taxa de transmissão da doença.

Entre as ações preparadas, está o inquérito epidemiológico para avaliar a atual situação no DF. Serão sorteadas 230 pessoas, de cada uma das 34 regiões administrativas, para fazer exames que vão identificar se elas produziram anticorpos contra a Covid-19. 

“O importante é que o DF apresenta, ainda, aumento não tão acentuado. Passamos a taxa de transmissão de 1 para 1,3”, detalhou Osnei. “Quando observamos a taxa de transmissão R (t) do DF, já estamos, sim, em alerta para uma possível segunda onda”, acrescentou.

Osnei Okumoto disse que a flexibilização das regras sobre o funcionamento de estabelecimentos comerciais no DF pode ter contribuído para o aumento da taxa de transmissão.

Medidas preventivas

Sobre os leitos de internação, o secretário disse que a rede pública conta com 205 de UTI Covid-19, em nove hospitais. Desses, 124 estão vagos.

Okumoto também citou a nomeação de servidores para reforçar o atendimento à população. A partir desta terça-feira (1°/12), estarão abertas inscrições do processo Seletivo Simplificado Emergencial para contratação temporária de 52 médicos, de forma imediata, e formação de cadastro reserva de outros 26. Para participar, o interessado deve acessar a página do Instituto AOCP. As vagas são para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e para os hospitais regionais da Asa Norte e de Brazlândia.

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, o Hospital de Campanha de Ceilândia deve começar a receber pacientes na segunda quinzena de dezembro. A obra foi entregue na sexta-feira (27/11). São tomadas providências para equipar e contratar empresas prestadoras de serviços que ficarão responsáveis pela limpeza e segurança da unidade.