Brasil

Seis brasileiros são presos suspeitos de envolvimento em chacina na fronteira

Metrópoles | 11/10/21 - 13h15 - Atualizado em 11/10/21 - 13h25
Reprodução

A polícia do Paraguai prendeu, na manhã desta segunda-feira (11/10), seis brasileiros suspeitos de terem participado na chacina na manhã do último sábado (9/10), em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, Mato Grosso do Sul. Segundo o G1, também foram apreendidos em uma casa três carros com documentos brasileiros, documentos brasileiros referentes a outros três automóveis, celulares, joias e 74 gramas de maconha.

Os brasileiros foram identificados como Hywulysson Foresto, Juares Alvers da Silva, Luis Fernando Armando e Silva Simões, Gabriel Veiga de Sousa, Farley José Cisto da Silva Leite Carrijo e Douglas Ribeiro Gomes. Equipes do Departamento Regional de Investigação de Atos Puníveis da Polícia Nacional foram ao local após um caminhão usado no ataque ter sido incinerado na colônia Fortuna Guazú.

Ataque deixou cinco vítimas

Imagens mostram que pistoleiros não levaram nem 10 segundos para matar quatro pessoas na fronteira Brasil-Paraguai. Entre sexta-feira (8/10) e sábado (9/10), foram cinco vítimas, incluindo Farid Charbell Badaoui Afif, 37 anos, vereador de Ponta Porã, cidade sul-mato-grossense vizinha a Pedro Juan Caballero; e Haylee Carolina Acevedo Yunis, 21, filha de Ronald Acevedo, governador do estado de Amambay, no Paraguai. 

No atentado, além da filha do governador paraguaio, morreram Kaline Reinoso de Oliveira, natural de Dourados (MS) e estudante de medicina, 21 anos; Rhannye Jamily, 18, também estudante de medicina; e Osmar Vicente Álvarez Grance, 32, conhecido como Bebeto. Ele levou 31 tiros.