Mundo

Sete países anunciam fim de restrições de circulação por conta de Covid

Metrópoles | 01/10/21 - 14h19 - Atualizado em 01/10/21 - 14h27
Reprodução

Com o avanço na vacinação e a diminuição de infecções, a pandemia de Covid-19 está começando a ser superada em algumas partes do mundo. Países como Portugal, França, Dinamarca, Noruega, Japão, Argentina e Chile estão voltando à vida normal, baixando as restrições de circulação e funcionamento do comércio. As medidas de abertura são acompanhadas de testagem e monitoramento para prevenir uma nova onda de infecções pelo coronavírus.

Na última segunda (28/9), o Japão, por exemplo, decidiu encerrar o estado de emergência em Tóquio e 19 outras províncias do país — entre domingo e segunda, o país registrou apenas 1.147 novos casos da infecção e a queda nos diagnósticos vem se consolidando desde 20/8. O Japão já tem 60% da população imunizada com as duas doses da vacina contra a Covid-19.

As portas não irão abrir de um dia para o outro. Para evitar uma nova onda, as autoridades japonesas decretaram que apenas restaurantes certificados poderão estender o horário de funcionamento, e eventos em massa serão permitidos desde que o uso de máscara seja fiscalizado. O chamado “passaporte de imunidade” é obrigatório: pode ser o certificado de vacinação ou um exame negativo para Covid-19 para circular por algumas províncias.

Europa - Nesta sexta (1º/10), Portugal começou a última etapa de flexibilização de suas restrições. A partir de hoje, estabelecimentos comerciais, restaurantes e bares não possuem mais limite máximo de clientes e voltam ao horário de funcionamento normal.

Os eventos culturais podem ser realizados com 100% de lotação, desde que os participantes apresentem um certificado digital de vacinação. O uso de máscara segue obrigatório no transporte público, escolas, salas de espetáculos, cinemas, estabelecimentos de saúde e casas de acolhimento para idosos e deficientes. Lojas com mais de 400m² precisam fiscalizar o uso do item de proteção entre os clientes. Com 85% da população imunizada com as duas doses, o certificado digital de vacinação não será mais obrigatório em restaurantes e hotéis, mas segue necessário para quem frequenta bares e discotecas.