Curiosidades

Signo egípcio: descubra qual é o seu e conheça a personalidade de cada um

Metrópoles | 04/08/20 - 11h35 - Atualizado em 04/08/20 - 11h40

Assim como o árabe e o chinês, o signo egípcio também possui sua visão sobre os astros e a influência das estrelas no nosso cotidiano. Elementos da natureza, deuses e ciclos lunares são três fundamentos muito importantes dentro desse horóscopo, como forma de se unir espiritualmente ao universo.

O calendário egípcio começa em 16 de julho, dia em que a estrela Sirius (Sothis) entrou no horizonte de Mênfis, a cidade dos Faraós. Tal qual o zodíaco que já conhecemos, o horóscopo desse povo é dividido em 12 meses, cada um com sua divindade representante.

BASTET (16/01 a 15/02)
É uma deusa representada por uma mulher com cabeça de gato, um chocalho numa mão e um cesto na outra. Ela foi uma das esposas de Rá, representa o suave calor fertilizante do Sol e é admirada por sua agilidade e vigor. A deusa Bastet abençoa as pessoas que nascem sob a regência deste signo egípcio com poderes como a bondade, o humanitarismo, a lealdade e a cordialidade. Essas pessoas são tão independentes quanto os gatos – embora apreciem o carinho, mantém-se distantes, preservando a liberdade. Por se tratar de uma divindade alegre, os nativos do seu signo também são alegres e agradáveis. Em contrapartida, sua natural rebeldia pode torná-los excêntricos a ponto de despertar antipatia nas pessoas com as quais convivem.

TAURET (16/02 a 15/03)
É representada pela imagem feminina grávida do hipopótamo. Quando afundava seu enorme corpo no rio Nilo, fazia com que o seu nível subisse, fertilizando as margens. Assim, tornou-se a deusa da riqueza e abundância. Dentre todos os benefícios que a deusa Tauret entrega aos que nascem sob a sua regência, os principais são a bondade e a capacidade de compreensão, atributos que costumam demonstrar por meio do seu olhar profundo e doce. São pessoas extremamente sensíveis e intuitivas, com forte tendência para os assuntos místicos ou paranormais. Devem usar suas qualidades para o bem do próximo e da humanidade, evitando o desperdício de energia. Seu maior desafio é tentar não se magoar com facilidade.

SEKHMET (16/3 a 15/4): a deusa da guerra faz com que você siga os seus impulsos e as suas emoções na hora de agir ou de tomar qualquer decisão. Logo, vive se metendo em confusão por causa de palavras impensadas e de atitudes tomadas no calor do momento. Não abre mão de viver a vida como se fosse uma grande aventura e busca novas paixões a todo instante. Curte o namoro com todas as letras, mas tem dificuldade para colocar um ponto final na relação, por mais desmotivada que esteja.

PTAH (16/04 a 15/05): é o grande deus da fertilidade masculina. É considerado o Grande Construtor ou o Divino Artesão, protetor das belas-artes e dos artistas. Em sua forma animal, Ptah tinha a aparência de um boi preto, com uma mancha triangular branca na testa, cuja função era a de um oráculo. As pessoas nascidas com este signo egípcio são beneficiadas com muita firmeza de temperamento, paciência e perseverança. Costumam ter talento especial para as artes e para tudo o que está relacionado com a construção de objetos. Por outro lado, Ptah também faz exigências aos seus protegidos: para alcançar a felicidade, eles devem direcionar todas as suas virtudes para a realização de coisas que contenham valor espiritual, despertem beleza e harmonia. Se não for assim, correm o risco de perderem seus poderes e viverem em constante insatisfação.

TOTH (16/05 a 15/06): é representado por homem com cabeça de Íbis, a ave sagrada. Sua principal atribuição é ser o Senhor das Palavras, o criador da fala e inventor da escrita. Tornou-se também o deus do tempo e das medidas, criando todas as ciências. Toth beneficia as pessoas que nascem sob a sua regência com uma enorme capacidade de comunicação e uma inteligência rápida. Os seus protegidos têm natureza dupla, nervosa e mudam constantemente de opinião. São muito perspicazes e ativos, além de muito criativos na escrita e na fala. No plano afetivo, podem ser frios e não se fixam facilmente numa paixão duradoura. Da ave Íbis, assimilaram seu hábito de voar de galho em galho, pesquisando e aprendendo coisas novas, tentando compreender àquilo que sua inteligência ainda não dominou.

ÍSIS (16/06 a 15/07): é a deusa da maternidade e da fertilidade. Foi cultuada como modelo da mãe e da esposa ideais, protetora da natureza e da magia. Era a amiga dos escravos e oprimidos, assim como a que escutava as preces dos opulentos, aristocratas e governantes. Ísis beneficia as pessoas que nascem sob a sua proteção com uma grande sensibilidade e uma poderosa imaginação. As pessoas regidas por essa deusa possuem forte instinto materno ou paterno e estão sempre prontas para socorrer os necessitados. Tal qual a deusa, são fiéis nos afetos e compreensivas nas suas relações. Gostam da vida doméstica e são muito sentimentais, podendo se magoar com certa facilidade. Embora sejam gentis, têm um latente mau humor, que sempre as ameaça quando as coisas não estão correndo como elas querem.

(16/08 a 15/08): conhecido como a principal divindade dos egípcios, Rá é considerado o Sol. Reza uma das lendas que sua origem teria sido um loto florido que, ao amanhecer, abriu suas pétalas para libertar o sol e ao anoitecer fechou-as protegendo o astro no seu interior. Rá beneficia as pessoas deste signo egípcio com inúmeras qualidades, dentre as quais, o poder, a força e a criatividade. Elas trazem consigo uma enorme bagagem de energia, que as tornam extrovertidas e com espírito de liderança. Destacam-se pelo destemor diante dos obstáculos e das situações embaraçosas. Embora esse seja um lado positivo do caráter de quem é regido por Rá, é também o seu ponto fraco, pois não são boas perdedoras. Quando são contrariadas, podem cair no mais completo desânimo. Mas, tal como o Sol, voltam a brilhar tão logo a tempestade passe.

NEIT (16/08 a 15/09): é a divindade egípcia da caça, simbolizada por sua cabeça de cão sagrado. Essa deusa é a vigilante e sempre fiel protetora dos deuses e de suas moradas, sendo considerada "aquela que abre os caminhos". As pessoas nascidas sob a proteção de Neit são de grande capacidade analítica, pacientes e possuidoras de um excelente senso de organização. As pessoas deste signo egípcio são também muito práticas, cuidadosas e detalhistas. Usando essas características, na maioria das vezes conseguem atingir os seus objetivos e alcançar a felicidade e a segurança que tanto sonham. Mas, como tudo o que é demais gera desequilíbrio, Neit aconselha seus filhos para que não se percam em coisas pequenas, dirigindo sua atenção para os assuntos mais importantes.

MAAT (16/09 a 15/10): é a deusa defensora da verdade e da Justiça, condutora do senso de realidade, do equilíbrio da natureza e da harmonia cósmica. Na galeria dos deuses, ela ocupa um lugar de destaque por coordenar o equilíbrio, sendo também responsável pela união dos opostos. As pessoas nascidas sob a regência de Maat são observadoras e sabem usar bem o seu forte senso de Justiça e sabedoria, criando um clima de harmonia em volta de si. Além disso, costumam ser pessoas simpáticas, afáveis e elegantes. Quando utilizam a força do seu espírito justo, tornam-se muito queridas e famosas. Têm forte ligação com a natureza e seus mistérios. Seu desafio é a dificuldade de escolher os seus pares devido a sua própria insegurança, que pode também acabar interferindo nas metas de almeja alcançar.

OSÍRIS (16/10 a 15/11): é considerado o rei dos deuses. Ele sofreu o conflito da inveja advinda do seu próprio irmão Set, que o matou cortando seu corpo em catorze pedaços. A sua esposa (e irmã) Ísis conseguiu juntar os pedaços e, através dos seus poderes mágicos, o ressuscitou. Osíris é, por isso, considerado o símbolo da renovação, como prova de que tudo o que morre volta a nascer, confirmando o eterno ciclo da vida. As pessoas nascidas sob a proteção de Osíris são também protegidas por Ísis e, por isso, se caracterizam pela intensidade das emoções e dos sentimentos, além de uma persistência incomum. São capazes de resistir a todas as adversidades e estão sempre dispostas a lutar por aquilo que defendem ou desejam. Têm uma intuição aguçada que, se canalizada, as livram de situações potencialmente perigosas. Por outro lado, são pessoas extremamente ciumentas, desconfiadas e costumam se descontrolar por pouco.

HÁTOR (16/11 a 15/12): é considerada a dama dos céus, da fertilidade, da maternidade e também dona do mundo subterrâneo. Ela é conhecida como a deusa da música, da dança, da vaidade e da alegria, tendo como representação a vaca, o animal sagrado dos egípcios. Hátor concede às pessoas deste signo egípcio os dons da sensualidade, da capacidade de amar, da permanente jovialidade e da alegria. São pessoas com um magnetismo especial na conquista, o que as torna muitas vezes irresistíveis. Aprender coisas novas é para elas um prazer. O desafio dos regidos por Hátor, no entanto, é lidar com a falta de equilíbrio emocional, pois o humor pode oscilar radicalmente quando se veem diante de pequenas contrariedades.

ANÚBIS (16/12 a 15/01): é conhecido pelo símbolo de corpo de homem com cabeça de chacal. Venerado como o deus que guia os mortos, é considerado o mediador entre o céu e a terra, temido pela sua falta de emoção e pela severidade do seu julgamento. Anúbis ajuda as pessoas que nascem sob a sua regência a conduzir o próprio destino, fazendo-as prontas para desenvolver qualquer empreendimento e a alcançarem o sucesso. Mas, como Anúbis é também o Senhor do Tempo, acaba por provocar atrasos nas conquistas. Em compensação, estimula a força de vontade, a paciência e a inteligência. A dificuldade maior das pessoas desse signo é lidar com a fidelidade, a ambição e o orgulho, o que muitas vezes as tornam egocêntricas e pouco modestas.