Mundo

Talibã reprime protesto no Afeganistão e três pessoas morrem

Metrópoles | 18/08/21 - 16h05 - Atualizado em 18/08/21 - 16h11
Reprodução

Os talibãs reprimiram nesta quarta-feira (18/8) um protesto popular no leste do Afeganistão, que visava defender a bandeira do país, em que os manifestantes se opunham a substituí-la pela branca, com uma inscrição que representa os insurgentes e o Emirado Islâmico (EI) que foi implementado com a volta do grupo ao poder. Durante o confronto, pelo menos três pessoas morreram e 12 ficaram feridas.

O ato ocorreu nas ruas de Jalalabad, capital da província de Nangarhar, uma das últimas cidades a ficar sob o controle dos radicais. “Os talibãs dispararam contra os manifestantes e atingiram alguns fotojornalistas”, conforme veiculou a agência de notícias afegã “Pajhwok”, no Twitter. Num primeiro vídeo, é possível ver um grande número de pessoas a percorrer as ruas de Jalalabad, segurando bandeiras do Afeganistão de diversos tamanhos.

Em seguida, é possível ver o começo da confusão, com tiros disparados para o alto, aparentemente, por supostos talibãs. Em seguida, é possível ver homens apavorados, se refugiando no interior de uma casa. Ainda segundo a agência “Pajhwok”, houve uma manifestação favorável à bandeira afegã na cidade de Khost, também localizada no leste do território.

Retirada norte-americana criticada - O Presidente da República Checa, Milos Zeman, criticou nesta quarta-feira os Estados Unidos e a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) pela retirada militar do Afeganistão, onde acredita que os talibãs vão criar “um centro terrorista” para realizar ataques em todo o mundo.

Em uma entrevista publicada nesta quarta no portal digital Parlamentní listy, o chefe de Estado checo afirma que o “fracasso” da OTAN no Afeganistão vai minar a confiança entre os aliados menores sobre a capacidade de resposta da Aliança Atlântica em caso de crise. O Presidente checo diz ainda que os Estados Unidos perderam “prestígio” como líder mundial ao sair do Afeganistão e que os últimos acontecimentos levantam dúvidas sobre a legitimidade da existência da Aliança Atlântica.

Zeman acrescenta que investir na OTAN é “um desperdício de dinheiro” e que, por isso, a República Checa deveria passar a concentrar os gastos na defesa nacional. O chefe de Estado diz ainda que os talibãs garantem financiamento por meio do tráfico de ópio e que vão criar um “centro terrorista” para realizar ataques em todo o mundo.