Alagoas

Ufal: Observatório prevê que AL supere o pico da 1ª onda ainda nesta semana

Assessoria | 22/03/21 - 14h22 - Atualizado em 22/03/21 - 15h06
Márcio Ferreira / Agência Alagoas

Os números de casos e mortes semanais da Covid-19 em Alagoas continuam crescendo e se aproximam dos observados no pico da doença, no ano passado, segundo levantamento do Observatório Alagoano de Políticas Publicas para o Enfrentamento da Covid-19, da Universidade Federal de Alagoas. Nesta 11ª Semana Epidemiológica, foram confirmados 6.751 casos e 134 óbitos pela doença no estado, aumentos de 44% e 23%, respectivamente, em relação à semana anterior. 

As maiores incidências seguem ocorrendo em Arapiraca e Maceió. A 5ª Região Sanitária, que abrange municípios da Zona da Mata, agora ocupa o terceiro lugar de maior incidência. Foram 358 e 178 casos por cem mil habitantes, em Arapiraca e Maceió, respectivamente. Na 5ª Região, o número foi de 119 casos por 100 mil habitantes – um rápido aumento de quase 100% no número de casos. 

Com o índice de reprodução do vírus no estado apontando um crescimento nas infecções para as próximas semanas, é esperado que o pico da primeira onda no estado seja superado ao longo da atual semana. Na 10ª Região Sanitária, que abrange parte do Sertão, o número de casos e óbitos já superou o visto em qualquer outro período. 

O número de notificações de casos suspeitos no estado também continua em ascensão, o que pode, também, estar relacionado a características sazonais. É próximo ao mês de abril que síndromes gripais e a dengue costumam aparecer com maior força no nordeste brasileiro. No entanto, a proporção de testes RT/PCR que retornam positivos no Laboratório Central de Alagoas (Lacen), ainda é elevada, tendo registrado 42% na 11ª semana epidemiológica. 

Com relação a ocupação hospitalar, os números confirmam a gravidade do atual cenário: no início da semana, a ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em Alagoas chegou a mais de 90%. Com a ampliação de 40 novos leitos, a taxa caiu para 81%, mas já havia retornado a 86% neste domingo (21). Apesar de haver mais leitos disponíveis hoje do que em qualquer outro momento da pandemia, o risco de colapso do sistema hospitalar ainda é muito alto. 

Projeções feitas pelo OAPPEC com base em dados fornecidos pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) mostram que Alagoas pode atingir 100% de lotação de leitos ainda no final desta semana. O limite superior de projeções aponta que a demanda pode chegar a 372 leitos na próxima sexta-feira (26), acima da capacidade instalada. A previsão média é de 343, lotação de 93%. 

Tendo esse cenário em vista, medidas mais rígidas devem ser consideradas. Dados de geolocalização divulgados pela Plataforma InLoco apontam que a média de isolamento não apresentou alterações significativas nas semanas que antecederam o decreto que institui a fase vermelha em todo o estado. 

Na semana anterior ao primeiro decreto, no dia 4 de março, a média de isolamento em Alagoas foi de 35,1%. Sete dias depois, com parte do estado na fase vermelha, o número foi de 35,8%. Caso a tendência se mantenha, as medidas podem ser insuficientes para conter um colapso na saúde do estado.