Brasil

Vacina: RJ quer liberar estádio e boate com 50% de público em setembro

Metrópoles | 29/07/21 - 18h14 - Atualizado em 29/07/21 - 18h25
Aline Massuca/ Metrópoles

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, anunciaram nesta quinta-feira (29/7) o plano de flexibilização das medidas de restrição contra a Covid-19. Denominado “Rio de novo, um ano de reencontros”, o plano será dividido em três etapas e foi classificado como “conservador” pelo prefeito e pelo secretário. O início delas dependerá da cobertura vacinal prevista pela secretaria como necessária para cada uma das fases. “Vamos ser conservadores na flexibilização. A gente acha que liberar tudo em um único momento pode trazer problemas”, disse Daniel Soranz, que citou a abertura no Reino Unido no início do mês.

Na primeira etapa, prevista para 2/9, poderão ser liberados estádios, boates, danceterias e casas de show, com 50% de público vacinado com as duas doses ou dose única. Também estão previstos eventos em ambientes abertos, sem limite de público. Soranz explicou que, para o início da primeira fase, a cobertura vacinal deverá cumprir a projeção traçada pela prefeitura: 54% da população adulta totalmente vacinada e, 91%, vacinada com pelo menos uma dose. Para 17/10, está prevista a segunda etapa de flexibilização, com liberação de 100% de público em estádios, boates, danceterias e casas de show.

Na terceira fase, marcada para 15/11, estão previstos a livre circulação, sem restrição de capacidade e distanciamento, e uso de máscara obrigatório apenas em transporte público e estabelecimentos de saúde. Para que isso ocorra, 90% da população adulta precisa estar totalmente vacinada, e 93%, pelo menos com a primeira dose.

O planejamento não muda as medidas em vigor na capital atualmente, definidas pelo Decreto nº 48.912, de 27 de maio. “Não estamos flexibilizando nada no momento. Este é um planejamento para o futuro”, disse Soranz.