Polícia

Agressões a adolescente homossexual já vinham acontecendo, diz conselheiro tutelar

João Victor Souza e Gilson Monteiro | 26/08/20 - 10h15 - Atualizado em 26/08/20 - 11h31

O Conselho Tutelar da 4ª Região, no bairro do Bebedouro, em Maceió, reuniu na manhã desta quarta-feira, 26, entidades da sociedade civil organizada, comissões da OAB/AL, para ouvir a mãe e decidir o que poderá ser feito judicialmente no caso do adolescente que foi espancado pelo pai e pelo irmão por ser homossexual. O caso aconteceu na segunda-feira, 24.

Segundo o conselheiro tutelar Celso Deoclécio, as agressões ao menor por conta da sexualidade já vinham acontecendo, até o ato extremo de bater no garoto a pauladas há dois dias.

“Reforçando o depoimento do adolescente e da mãe, movimentos sociais e a própria vizinhança já tinham ligado pra o Conselho, e para outros conselheiros, reforçando que isso já vinha acontecendo de maneira frequente”, afirma Deoclécio.

O conselheiro informou ainda que o caso já foi levado às autoridades policiais, e que toda a família receberá apoio.

“No dia de ontem, levamos o caso para a delegacia dos Crimes contra Criança e o Adolescente. Encaminhamos o adolescente para fazer acompanhamento psicológico, para tentar amenizar toda essa situação, esse trauma. Estamos encaminhando o caso também para o Creas [Centro de Referência Especializado de Assistência Social], para que toda a família receba assistência, não só o garoto, para que ela tenha todo o aparato necessário. O Conselho vai ficar acompanhando juntamente com a OAB, Direitos Humanos e movimentos da sociedade civil organziada”, disse o conselheiro.

Assista à entrevista do Conselheiro Tutelar ao TNH1 e à TV Pajuçara

O outro lado

O TNH1 não conseguiu contato com o pai e o irmão do adolescente, para ouvir sobre a denúncia, ficando aberto o espaço para defesa.