Alagoas

Alagoano é uma das vítimas de envenenamento em Barueri; corpo é sepultado em SP

TNH1 com Veja | 18/11/19 - 17h31 - Atualizado em 18/11/19 - 17h46
Reprodução/SBT

O alagoano Luiz Pereira da Silva, de 49 anos, foi uma das vítimas do suposto envenenamento em massa que ocorreu na madrugada do último sábado, 16, no Centro de Barueri, em São Paulo. Além dele, mais três pessoas que viviam em situação de rua foram encontradas mortas. 

Segundo informações das autoridades do município, uma pessoa teria levado uma cachaça "batizada" e dividido com um grupo. Luiz foi uma das pessoas que ingeriu a bebida, passando mal em seguida. Ele não resistiu e morreu numa praça. 

Natural de Palmeira dos Índios, Luiz teria deixado Alagoas em busca de emprego na capital paulista na década de 90, mas o seu envolvimento com bebidas alcoolicas atrapalhou seu caminho profissional na cidade.

Uma pessoa ligada à família de Luiz, disse, em entrevista ao Portal Todo Segundo, que o homem chegou a se casar e a trabalhar como porteiro, mas viveu nas ruas após a separação e a demissão do cargo.

Apesar de ter nascido em Alagoas, o corpo de Luiz foi sepultado no cemitério Santo Antônio, em Osasco, na Grande São Paulo.

O caso

Segundo nota da prefeitura da cidade, oito pessoas deram entrada no Pronto-Socorro Central de Barueri com indícios de envenenamento. Edson Sampaio, de 40 anos, Luiz Pereira da Silva, de 49, Marlon Alves Gonçalves, de 39 e Denis da Silva, cuja idade não foi divulgada, morreram na manhã do sábado.

Outras três vítimas permanecem internadas no Hospital Municipal de Barueri, em estado regular e estável. São elas: Silvia Helena Euripes, Vinicius Salles Cardoso e Sidnei Ferreira de Araújo Leme.

A prefeitura também comunicou que um dos sobreviventes contou que uma garrafa com bebida alcoólica lhe foi oferecida por desconhecidos na capital paulista, na região da cracolândia. Todas as vítimas compartilharam do líquido momentos antes de passarem mal na Rua Duque de Caxias, região central de Barueri.

Ainda de acordo com a prefeitura de Barueri, a Polícia Civil já apreendeu a garrafa e solicitou perícia técnica do conteúdo. A ocorrência foi registrada pela Delegacia Central de Barueri, que passa a investigar o que efetivamente ocorreu.

"