Saúde

Alagoas precisa de 45 mil doses de Coronavac para concluir 2ª dose, diz levantamento

TNH1 com Ascom AMA | 28/04/21 - 12h31 - Atualizado em 28/04/21 - 12h41
Foto: Arquivo / Carla Cleto / Agência Alagoas

Alagoas precisa de aproximadamente 45 mil doses da Coronavac para concluir a imunização com a segunda dose (D2) do grupo prioritário nos municípios que relataram falta da vacina, segundo levantamento do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems).

Nesta quarta-feira (28), a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) informou que o presidente da entidade recebeu a garantia de que o Ministério da Saúde (MS) deve liberar, até o final desta semana, um novo lote da vacina Coronavac. 

Segundo a AMA, após a reunião de avaliação semanal, o presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems), Rodrigo Buarque, solicitou a interlocução do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) para uma definição sobre o calendário de aplicação da D2.

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) também recebeu a informação do Ministério da Saúde para adoção de uma nova logística de distribuição da vacina Coronavac para normalizar o repasse na aplicação da segunda dose. De acordo com a pasta, a partir de 3 de maio, o Instituto Butantan volta a produzir 600 mil doses por dia e fará o repasse diário para que o governo federal remeta aos estados, que repassam aos municípios.

Ampliação do intervalo da Coronavac

Com a falta das vacinas, pessoas que já tomaram a primeira dose da CoronaVac estão preocupadas, visto que o prazo para a segunda dose foi ampliado de 21 para 28 dias. Para especialistas, no entanto, a ampliação do prazo não compromete a imunização. O Departamento de Microbiologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) confirma que tomar a segunda dose da vacina alguns dias após a data recomendada pela fabricante não compromete a imunização, e não há perdas dos efeitos da primeira dose.