Saúde

Alagoas recebe mais 296 mil doses de vacinas contra a Covid até esta quarta

Ministério da Saúde | 07/09/21 - 06h59 - Atualizado em 07/09/21 - 07h05

O Ministério da Saúde envia mais 296 mil doses de vacinas Covid-19 para Alagoas. O estado irá receber 94,7 mil doses de imunizantes da Pfizer/BioNtech e 201,2 mil doses da Coronavac, produzidas pelo Instituto Butantan.

O quantitativo é parte da distribuição de mais de 17 milhões de doses para todos os estados e o Distrito Federal. O envio da remessa será concluído na quarta-feira (8) pela pasta, que já vacinou mais de 83,9% da população adulta com a primeira dose.

Desde o início da campanha de vacinação, o estado já recebeu 3,7 milhões de doses de vacinas Covid-19 – mais de 2,7 milhões foram aplicadas.

Os detalhes das pautas de distribuição e os quantitativos por estado estão divididos em três Informes Técnicos: 44º45º e 46º

Até agora, desde o começo da campanha, já são mais de 253,7 milhões de doses distribuídas e 134,2 milhões de brasileiros com a primeira dose no braço. O Brasil está cada vez mais perto de atingir a meta de vacinar, com a dose 1, toda a população acima de 18 anos com a primeira dose até o dia 15 de setembro.

Após essa meta atingida, será possível garantir vacinas para as próximas etapas da campanha, como a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos e a dose de reforço para idosos acima de 70 anos e pessoas imunossuprimidas.

Vacina para todos

Para garantir a equidade da vacinação, o Ministério da Saúde está ajustando os quantitativos para que os estados completem a vacinação da população com a primeira dose e também garantam o ciclo vacinal com a segunda dose, conforme a necessidade de cada um. Portanto, alguns estados receberão mais doses para aplicação da dose 1 e outros serão contemplados com mais lotes para dose 2.

Todas as decisões sobre a distribuição de vacinas são pactuadas entre representantes da União, estados e municípios. O objetivo da pasta é garantir que todos os estados terminem a vacinação da população acima de 18 anos com a primeira dose em momentos semelhantes, sem prejuízos para a população. Por isso, para calcular a quantidade de vacinas que todos irão receber, a pasta considera a população adulta que ainda não recebeu a primeira dose em cada estado.