Saúde

Alagoas segue com a menor incidência de novos casos da Covid no Brasil, aponta relatório

Eberth Lins | 19/10/20 - 10h26 - Atualizado em 19/10/20 - 10h36
Foto: Fiocruz

Alagoas se mantém, pela segunda semana consecutiva, como o estado do Brasil com menor incidência de novos casos de coronavírus, com 17 casos para cada 100 mil habitantes, seguido por Pernambuco e Maranhão, com taxas iguais a 31 e 33 casos, respectivamente.

O dado é um recorte do relatório da 42ª Semana Epidemiológica do Observatório Alagoanos de Políticas Para Enfrentamento da Covid-19, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que trouxe também uma redução discreta na quantidade de novos óbitos, deixando Alagoas na oitava posição em comparação aos demais estados.

Gabriel Bádue, pesquisador e coordenador do Observatório. Foto: Arquivo pessoal

"Os casos tiveram mais uma queda expressiva na última semana e os óbitos pararam de subir, o que tinha acontecido nas duas últimas semanas. Por outro lado, o comportamento dos óbitos não acompanhou a mesma tendência das últimas semanas", explicou o coordenador do Observatório, o pesquisador Gabriel Bádue.

Testagem

O Observatório também questiona a quantidade de casos em investigação laboral em Alagoas, que nesse domingo (18) contabilizava 2.844 casos, além de 89.493 casos da Covid-19 e 2.177 óbitos. "É um ponto que ainda chama muita atenção, visto que de acordo com a definição do Ministério da Saúde são pessoas que apresentam sintomas, mas não foram testadas. Considerando que o Estado possui testes estocados, segundo o boletim de testes da Sesau (Secretaria de Estado da Saúde), seria importante esclarecer quais os critérios para a utilização dos mesmos. E por que o número de casos suspeitos continua em patamares altos", disse o pesquisador.

"Destacamos, mais uma vez, o significativo número de casos suspeitos, bem como as potencialidades que esse resultado tem na distorção da real situação. Considerando que o último boletim de testes divulgado pela Sesau indica a disponibilidade de cerca de 6.500 testes rápidos e 43 mil kits para RT-PCR em estoque, o que justifica a manutenção do número de suspeitos nesse nível?", trouxe o relatório.

O TNH1 entrou em contato com a Sesau mas ainda aguarda posicionamento.

Ocupação de leitos 

De acordo com o Observatório, a capacidade de leitos em Alagoas é considerável estável e  acima da margem de segurança. "Mesmo com a redução dos leitos exclusivos a vítimas da Covid, iniciada na 41ª SE, a ocupação dos leitos de UTI permanece estável. A taxa de 38% de ocupação observada no último dia 17 mostra que a capacidade está muito acima da margem de segurança recomendada pelo Comitê Nordeste", informou o Observatório.