Saúde

Alagoas sofre agravamento da pandemia e tem incremento de 14% nos óbitos por Covid, diz Ufal

Eberth Lins | 31/05/21 - 10h36 - Atualizado em 31/05/21 - 10h40
Foto: Agência Brasil

O aumento no número de óbitos, de hospitalização pelas complicações do vírus e de casos suspeitos confirmam o agravamento da pandemia em Alagoas, segundo o Observatório Alagoano de Políticas Públicas Para Enfrentamento à Covid-19, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Conforme relatório da 21ª Semana Epidemiológica (SE), isto é, entre os dias 23 e 30 deste mês, Alagoas teve um incremento de 14% no número de óbitos causados pelo novo coronavírus. 

As razões entre as taxas de incidência foram calculadas a partir da divisão da taxa na 20ª SE pela da 19ª SE e da taxa na 21ª SE pela 20ª SE de 2021. Maceió e Arapiraca foram excluídas e analisadas separadamente.  Fonte: Observatório Alagoano de Políticas Públicas de Enfrentamento à Covid-19

"Entre as doze localidades analisadas, cinco apresentaram aumento de casos e sete de óbitos. Maceió, que há duas semanas apresentava redução de casos e óbitos, voltou a registrar aumento dos dois indicadores. O Alto Sertão (10ª Região de Saúde (RS) foi a que apresentou maior variação percentual de casos, enquanto a 6ª RS foi a que apresentou o maior número de óbitos, depois da capital alagoana", trouxe o relatório obtido pelo TNH1, na manhã desta segunda-feira (31).

Hospitalização em UTI

O Observatório ressaltou ainda que a ocupação dos leitos de UTI manteve a tendência de alta das últimas semanas, desta vez fazendo com que a taxa superasse os 90%, mesmo com o aumento de sete leitos para tratamento de pacientes da Covid. A taxa está bem acima do limite de 80% recomendado pelo Comitê Científico do Consórcio Nordeste para adoção de medidas mais rígidas de controle, a exemplo do lockdown.

"Após um período de estabilidade seguida por uma redução, a demanda por leitos de UTI voltou a subir, se acentuando ainda mais na última semana, quando a taxa de ocupação ficou acima de 80% por todo o período", aponta o Observatório.

Casos confirmados e suspeitos 

Na 21ª SE foram registrados 4.162 casos, uma redução de 5% em relação à semana anterior. Já o número de casos suspeitos manteve a tendência de alta observada nas últimas semanas, chegando a 18.335 casos nesse domingo (30)

De acordo com o Observatório, os casos confirmados continuam estabilizados em um platô acima de 4 mil casos, enquanto o número de casos em investigação representa um incremento de mais de 8 mil casos confirmados e evidencia o descontrole da transmissão do novo Coronavírus no estado. 

"Salientamos a importância da adoção das medidas de controle a fim de evitar o colapso da rede de saúde e o aumento do número de mortos. Para além dessas medidas, as evidências científicas amparadas por experiências registradas pelo mundo demonstram que a vacinação é o caminho mais eficiente para que saíamos da atual situação", reforça o Observatório.