Alagoas

ANP orienta consumidor a identificar combustível adulterado; lista mostra postos fiscalizados

Camilla Bibiano* | 15/03/19 - 12h30 - Atualizado em 15/03/19 - 12h30
Cor também indica qualidade do combustível, explica ANP | TNH1 / Camilla Bibiano

Em alusão à Semana do Consumidor, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) realizou nesta sexta-feira (15) uma orientação aos clientes sobre a qualidade dos combustíveis nos postos de Maceió. O objetivo da ação é esclarecer aos os direitos dos consumidores e os deveres dos estabalecimentos.

Durante o dia, estão sendo distribuídas cartilhas de orientações com dicas sobre combustíveis líquidos (gasolina, etanol e diesel) e gás de botijão, o GLP. Entre as indicações estão: verificar a origem dos combustíveis; guardar notas fiscais e pedir o teste da proveta.

Segundo o especialista em regulação da ANP, Wekisilley Pereira, houve fiscalizações em Alagoas durante essa semana que terão balanço divulgado posteriormente. A agência reguladora faz fiscalizações constantes, divulgadas no site da ANP mensalmente. 

Teste de proveta de gasolina

Em janeiro, 61 postos foram fiscalizados em Alagoas, e 10 foram notificados, 6 tiveram autos de infração e 4 autos de interdição. Confira a lista completa aqui.

De acordo com Pereira, os testes de proveta são de qualidade e de quantidade, e servem para analisar quanto de etanol anidro tem na gasolina comum e aditivada. Os testes de diesel e etanol são feitos de maneira igual, enquanto o de gasolina passa por uma mistura a uma substância aquosa. Algumas amostras podem ser levadas para laboratório.

“Os testes de qualidade que estamos fazendo é o teste de gasolina, que é o de aspecto, cor, se está límpido e isento de impurezas, além do teste da proveta. No etanol, são feitos testes de cor e de teor alcoólico”, explica.  

Veja o vídeo dos testes sendo realizados:

O consumidor tem direito de pedir para que os testes sejam feitos na hora em que for abastecer. “O posto é obrigado a ter um kit de teste e se o consumidor quiser, ele pode pedir ao posto que traga o kit e que alguém realize na frente dele”, afirma o especialista. 

Pereira ainda lembra que os clientes devem também ficar de olho no termodensímetro, que fica ao lado da bomba com etanol hidratado, para verificação da cor e do teor alcoólico. 

Caso o posto possua gasolina adulterada, a ANP autua o estabalecimento e lacra os bicos e tanques. O proprietário irá responder a um processo administrativo que pode gerar uma multa entre 20 mil e 5 milhões de reais. 

O cliente pode denunciar através do telefone da ANP, o 0800 970 0267 ou no fale conosco do site www.anp.gov.br/fale-conosco. Para fazer um registro é necessário o cupom fiscal e os dados do posto. 
 

*Estagiária sob supervisão da editoria