Maceió

Antes de punir, Município vai incentivar imunização de trabalhadores que rejeitaram vacina

Redação TNH1 | 25/08/21 - 18h42 - Atualizado em 25/08/21 - 19h01
Prefeitura vai incentivar vacinação entre trabalhadores do setor produtivo antes de pensar em punir estabelecimentos | Ascom SMS

Esclarecer os trabalhadores do setor produtivo da capital sobre a importância da vacinação contra a Covid-19. Este é o objetivo da campanha – definida em reunião realizada nesta quarta-feira (25) – que a Prefeitura de Maceió fará, em parceria com entidades, estabelecimentos comerciais e centros de compras, para convencer o público ainda resistente à vacina de que somente a imunização é capaz de vencer a pandemia. A punição aos trabalhadores que não quiserem se vacinar e a suspensão das atividades de estabelecimentos só devem ocorrer em um segundo momento.

Semana passada, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) emitiu uma nota à imprensa para esclarecer o conteúdo de um ofício determinando os negócios estabelecidos em Maceió passassem a cobrar de seus funcionários que se vacinem contra a doença, sob pena de suspensão das atividades. 

O ofício do Gabinete de Gestão Integrada para o Enfrentamento da Covid-19 estabelecia o dia 28 de agosto como prazo para que todos os colaboradores ou permissionários recebessem a vacina disponibilizada pelo Município.

A discussão veio à tona após estados e municípios serem autorizados, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a adotar a vacinação compulsória. À TV Pajuçara, o coordenador do GGI-Covid-19, Claydson Moura, informou que todos os presentes à reunião foram unânimes quanto à importância da campanha.

“O que queremos é que as pessoas que não queiram se vacinar tenham a consciência de que precisam se isolar, evitando, assim, expor à doença aqueles que já se vacinaram. Sabemos que a medida é constitucional, mas não queremos fechar estabelecimentos, nem forçar ninguém a tomar a vacina. Porém, também não podemos permitir uma nova escalada do vírus em Maceió, como tem ocorrido no Rio de Janeiro”, explicou o coordenador.

Moura disse ainda que, se houver qualquer sinalização de dificuldade, por parte dos empresários, no processo de convencimento de seus colaboradores, o Município será acionado de imediato. “Afinal, ainda precisamos vacinar quinhentas mil pessoas”, emendou.

Presente ao encontro, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas (ABIH-AL), André Santos, classificou a reunião como louvável. “Vamos orientar quem ainda não tomou nenhuma dose sobre a importância da vacina. A pandemia trouxe sérios problemas para as empresas e sociedade em geral, mas não podemos simplesmente obrigar ninguém a se vacinar. Tem gente que tem pavor à vacina. Portanto, ao invés de punir, decidiu-se por esta campanha de conscientização” disse Santos.

“Vamos incentivar as empresas que vêm cumprindo com seu papel, entregando-lhes algum tipo de certificado ou realizando sorteios entre os colaboradores que se vacinaram, por exemplo. Da parte da Prefeitura, serão avaliadas ações como a concessão de desconto no pagamento do IPTU pelo colaborador vacinado”, emendou o empresário.