Maceió

Aos 36 anos, Padre Ronaldo Silva morre por complicações da Covid em Maceió

TNH1 com Arquidiocese de Maceió | 23/06/21 - 07h51 - Atualizado em 23/06/21 - 08h02
Divulgação

A Arquidiocese de Maceió comunicou o falecimento do padre Ronaldo Silva dos Santos, aos 36 anos, nesta terça-feira, 22, após sofrer uma parada cardíaca na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Misericórdia, em Maceió, onde estava internado com Covid-19.

Segundo a Arquidiocese, a equipe médica tentou reanimação e não obteve sucesso. O arcebispado se solidarizou aos familiares e aos fiéis da Paróquia de Nossa Senhora Mãe do Povo, na cidade de São Miguel dos Milagres, onde Ronaldo Silva era pároco.

O Padre estava internado na UTI da Santa Casa desde o dia 5 de junho com um gravíssimo quadro clínico de infecção pulmonar e submetido a terapia por ECMO –  Oxigenação por membrana extracorpórea.

Ronaldinho, como era conhecido, passou mal em 28 de maio, e foi hospitalizado no Hospital Regional Norte, na cidade de Porto Calvo, onde testou positivo oara a Covid. No dia 30, devido a complicações da doença, foi para a UTI e intubado. Na madrugada de 5 de junho foi transferido para a Unidade hospitalar em Maceió.

Sepultamento

As informações sobre o sepultamento serão divulgadas posteriormente nas redes sociais da Arquidiocese @arqdemaceio e da Paróquia @paroquiadamaedopovo.

Devido à pandemia do novo coronavírus, as orientações e restrições médicas-sanitárias devem ser seguidas rigorosamente.

Biografia

Ronaldo Silva dos Santos nasceu no dia 31 de agosto de 1984 na cidade de Arapiraca, filho de José Antônio dos Santos e Maria Estela da Silva (ambos já falecidos)  e irmão de Rosinaldo, Roseane e Rosivaldo. Ordenado pelas mãos e oração consecratória de Dom Antônio Muniz Fernandes, no dia 29 de dezembro de 2015, juntamente com o padre Luiz Antônio Guimarães, a quem sempre  chamou de irmão na vida e na fé.

Enviado à Paróquia Nossa Senhora Mãe do Povo, na cidade de São Miguel dos Milagres, em novembro de 2016, onde exerceu seu ministério sacerdotal  e pondo em prática seu lema sacerdotal: “Por causa da Tua Palavra, lançarei as redes” (Lc 5,5).

Fez estágio diaconal e foi vigário paroquial, por alguns meses, na Paróquia Senhor Bom Jesus do Bonfim, em Viçosa, na época tendo como pároco padre Geison Araújo. Passou pela Paróquia Nossa Senhora da Conceição, na cidade de Chã Preta; em Maceió, nas Paróquias Santo Antônio, em Bebedouro, e São Vicente de Paulo, no Graciliano Ramos, cujo pároco, cônego Aloizio Roberto, era seu padrinho.