Saúde

Aplicações da 2ª dose da Coronavac são suspensas no interior por falta de envio de imunizantes

TNH1 | 26/04/21 - 07h10 - Atualizado em 26/04/21 - 07h45
Polyanna Monteiro/Ascom SMS

Além de Maceió, que já havia anunciado nesse domingo que não recebeu do Governo do Estado o quantitativo total de vacinas para aplicação das segundas doses, outros municípios alagoanos paralisaram o serviço de imunização nesse fim de semana. 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL) decidiram, conjuntamente, estender o prazo para aplicação da segunda dose da Coronavac, passando de 21 para 28 dias – o que é permitido pelo fabricante do imunizante e está previsto na bula da vacina. A diminuição nas remessas enviadas pelo Ministério afetam todo o país, visto que a capacidade de produção do Instituto Butantan foi reduzida por falta de insumos.

Até o momento, as prefeituras das cidades de Arapiraca, Marechal Deodoro, São Miguel dos Campos e Capela comunicaram que aguardam o repasse das remessas de imunizantes para voltar com a vacinação do público.

Já Marechal Deodoro informou que a remessa disponível no município foi aplicada no último sábado, com um total de 450 segundas doses.

Ampliação de aplicação da 2ª dose

Sesau e Cosems orientam a população a prestar atenção na data que consta no cartão de vacinação e acrescentar sete dias para tomar a segunda dose da Coronavac. “Caso no cartão de vacinação a segunda dose esteja marcada para a próxima segunda-feira, dia 26 de abril, agora esta pessoa deve procurar os pontos de vacinação no dia 03 de maio”, explicam.

A extensão do prazo foi pactuada entre o Estado e os municípios alagoanos por meio da Resolução da Comissão Intergestora Bipartite (CIB) número 014, de 22 de abril de 2021. A resolução será publicada em edição suplementar no Diário Oficial do Estado (DOE).

Na bula da vacina Coronavac consta a informação de que a aplicação da segunda dose do imunizante deve ser realizada entre 14 e 28 dias. Em Alagoas, havia sido estipulado, inicialmente, que o prazo seria de 21 dias entre a primeira e a segunda dose. Ainda conforme a bula do imunizante, há informações científicas sobre o intervalo de 28 dias garantir uma melhor resposta imunológica no organismo contra o novo coronavírus.