Brasil

Após afastamento por postagem homofóbica, Minas anuncia desligamento de Maurício Souza

O Globo | 27/10/21 - 17h16 - Atualizado em 27/10/21 - 17h24
Reprodução Instagram

O Minas anunciou nesta quarta-feira que o central Maurício Souza não atua mais pela equipe. O clube ainda não confirmou de quem partiu a decisão.

A notícia vem em meio a uma crise por conta de uma postagem homofóbica em seu perfil no Instagram. No dia 12 de outubro, Mauricio se mostrou incomodado com o fato de o personagem Super-Homem surgir bissexual na nova edição da revista da DC Comics, ele fez a publicação com teor homofóbico no perfil do Instagram, no qual tinha mais de 250 mil seguidores – agora, já passou dos 320 mil.

O clube sofreu pressão de seus patrocinadores, a Fiat e a Gerdau, impôs multa e afastou o jogador, que também teve de postar um pedido de desculpas. Depois de fazer a postagem inicial no Twitter, em um perfil que tinha pouco mais de 50 seguidores, o jogador postou nesta quarta-feira um vídeo no Instagram, onde tem mais de 320 mil fãs, com uma retração.

"Vim aqui para pedir desculpas, a todos que se sentiram ofendidos com a minha opinião. Eu defendo aquilo que acredito, não foi minha intenção. Assim como vocês têm direito de defender aquilo que vocês acreditam, eu tenho direito de defender o que eu acredito. Não precisamos brigar por isso. Respeito todos, sempre respeitei, dentro e fora de quadra, joguei com vários homossexuais, nunca desrespeitei, sempre fiz amizade", disse ele, antes de explicar que o que defende são os "valores de família" e que não concorda em ser chamado de homofóbico: "Enfim, isso não justifica. Não só homossexuais, lésbicas também. Todo tipo de... Toda pessoa de gênero diferente. Fico triste com tudo que está acontecendo, infelizmente a gente não pode mais dar opinião, colocar os valores acima de tudo, os valores de família, os valores do que a gente acredita. Mas os valores de vocês nós temos de respeitar a qualquer custo. Se não a gente é chamado de homofóbico, como preconceituoso. Eu não concordo com isso".