Maceió

Após ameaças nas redes, Ifal reforça segurança para receber calouros

Redação TNH1 | 11/02/19 - 18h28 - Atualizado em 11/02/19 - 18h28
Assessoria

O Instituto Federal de Alagoas (Ifal), campus Maceió, reforçou a segurança para receber os novos alunos do Ensino Médio. A decisão aconteceu após a diretora do campus, Jeane de Melo, tomar conhecimento de ameaças propagadas pelas redes sociais, com estudantes da instituição, identificados como “mascarados”, prometendo praticar trote de cunho violento com os calouros.

De acordo com Jeane, os novatos entraram em contato com ela por WhatsApp para saber se o que estava sendo compartilhado na internet era verdade e o que a instituição iria fazer para inibir a ação.

“A preocupação maior aconteceu quando foi criado um perfil, esse do mascarado, tanto no Facebook quanto no Instagram, propagando a realização do trote e desafiando a instituição. É preocupante. O resultado do exame de seleção saiu na primeira semana de janeiro. São nove cursos técnicos e estamos recebendo 700 novos alunos, menores de idade, do ensino médio”, disse.

O Ifal já reforçou a segurança eletrônica com a instalação de novas câmeras e aumentou o número de funcionários para circular pelo ambiente interno para evitar o trote. “Nós dobramos o número de câmeras, de 130 para 260. Assim como o número de pessoas que vão circular para combater essa ação”, acrescentou a diretora.

Para se precaver de um possível trote realizado nas proximidades da instituição, o Ifal enviou um ofício ao Batalhão de Polícia de Trânsito (BPEsc) para monitorar a região durante as primeiras semanas de aula.  “Nós pedimos que a polícia realize rondas neste período de integração”, afirmou.

A diretora também destacou que os alunos que praticarem trotes violentos serão punidos severamente, e que o Ifal estará em alerta a qualquer movimento para impedir a ação.

Trote polêmico em 2018

Duas calouras ficaram feridas após serem atingidas no rosto por um líquido conhecido como "sangue do diabo", uma substância parecida com tinta vermelha que desaparece depois de algum tempo. Na ocasião, 22 estudantes foram punidos pelo trote, entre os que planejaram, executaram e participaram direta ou indiretamente. Nove alunos foram expulsos e outros receberam penalidades graves, como suspensão, e leves, como advertência na ficha educacional.