Polícia

Após depoimento contraditório, suspeito de matar criança volta a ser ouvido

Redação TNH1 | 11/02/20 - 09h45 - Atualizado em 11/02/20 - 09h49
Suspeito vai ser ouvido no 17º Distrito Policial | Arquivo TNH1

A polícia vai voltar a ouvir, na manhã desta terça-feira, 11, o jovem suspeito de matar a criança de 11 anos que teve o corpo encontrado na manhã dessa segunda, 10, aparentemente com sinais de sufocamento e de estupro, em Marechal Deodoro. 

A menina foi morta num residencial no bairro de Botafogo e o corpo foi deixado seminu nas primeiras horas de ontem. O exame de conjunção carnal vai constatar se ela sofreu violência sexual ou não. Um fio utilizado em instalações elétricas foi encontrado próximo ao corpo, o que pode ter servido como arma para o assassino.

O delegado Leonam Pinheiro, titular do 17º Distrito Policial, conversou com a reportagem nesta terça e revelou que a versão contada pelo homem em interrogatório apresentou contradições em relação ao depoimento de sua namorada, prima da vítima.

"Ele ter contado uma história diferente da namorada chamou a atenção da polícia. Então a gente soube de novas informações e por isso vamos interrogá-lo de novo. Tanto ele, quanto a namorada", disse.

Pinheiro também afirmou que a jovem, que havia convidado a prima para o residencial onde aconteceu o crime, não é considerada suspeita de participação na morte, mas pode ter conhecimento do envolvimento do companheiro. "Existe essa possibilidade dela ter ficado sabendo depois. Mas está descartada a hipótese de participação dela", afirmou.

O delegado destacou ainda que não pode "cravar" qual foi a motivação do crime, porém quando questionado sobre um suposto interesse do suspeito em ter relações sexuais com a vítima, seguido de uma resistência por parte dela, ele revelou que pode ser uma linha de investigação.