Maceió

Após licitação de saneamento da Região Metropolitana, Rui Palmeira debate investimentos com Renan Filho

Redação TNH1 | 06/11/20 - 13h44 - Atualizado em 06/11/20 - 13h53
Divulgação

O prefeito Rui Palmeira se reuniu, nesta sexta-feira (06), com o governador Renan Filho, no Palácio República dos Palmares, no Centro. O encontro foi para debater investimentos em saneamento com o recurso de outorga a ser recebido pelo Estado pela concessão dos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Região Metropolitana de Maceió (RMM). 

“O que estamos buscando nessa reunião é debater como será distribuído esse dinheiro. Inicialmente, o recurso só seria investido em saneamento básico, contudo, eu e outros gestores da região metropolitana defendemos que seja também para outras obras de urbanização, como pavimentação e drenagem, por exemplo. Para isso, seria preciso pedir autorização à Assembleia Legislativa, o que pode ser feito por meio de um projeto de lei”, explicou Palmeira.  

Em 30 setembro deste ano, a BRK Ambiental Participações S.A foi a vencedora do leilão organizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a concessão regionalizada dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário da RMM. 

A BRK Ambiental terá como compromisso promover a distribuição de água e a coleta de esgoto para 1,5 milhão de habitantes em 13 cidades da grande Maceió, com previsão de investimentos em infraestrutura na ordem de R$ 2,6 bilhões durante os 35 anos de contrato. O modelo desenvolvido pelo BNDES exigiu que R$ 2 bilhões sejam investidos já nos primeiros seis anos de concessão, ou seja, até 2026.

Ainda segundo o prefeito Rui Palmeira, a concessão vai permitir um avanço na qualidade de vida dos que mais necessitam do poder público. “Com isso, poderemos universalizar o abastecimento de água e aumentar o acesso ao esgotamento sanitário, o que garante um ganho substancial nas condições de vida da população mais carente. Sem a parceria da iniciativa privada, creio que precisaríamos de muitos anos para chegar a ter resultados mais satisfatórios”, destacou o chefe do Executivo municipal. 

A concessão deverá universalizar o serviço de água na região metropolitana de Maceió nestes primeiros seis anos de contrato e ampliar a rede de esgotamento sanitário para 90% até o décimo sexto ano de contrato. Atualmente, 27% da população dispõem deste serviço.

A BRK Ambiental também deverá cumprir vários indicadores de desempenho, de qualidade e eficiência na prestação dos serviços, além de reduzir as perdas de água para, no máximo, 20%. Hoje, o índice de desperdício na região é de 59% da água produzida.