Tecnologia

Apple pede desculpas pela lentidão de iPhones e oferece desconto em solução

29/12/17 - 10h06
reprodução

Ao longo da última semana, acompanhamos a Apple recebendo uma série de processos após fazer uma declaração polêmica. No dia 21 de dezembro, a empresa da Maçã assumiu que reduz o desempenho dos iPhones 6s e 7 para ajudar na preservação da bateria.

A notícia não foi nem um pouco bem recebida pelos usuários, que, a partir de então, passaram a exigir pelos direitos de transparência da companhia para com o consumidor.

A ira do público foi tamanha que em apenas uma semana a Apple acumulou oito processos, sendo a maioria nos Estados Unidos. Agora, em nota oficial em que pede desculpas e explica o motivo da prática com mais detalhes, a empresa revelou que vai passar a oferecer um benefício aos usuários afetados.

"Nós temos ouvido o feedback de nossos consumidores sobre a forma com a qual lidamos com a performance dos iPhones com baterias mais velhas e como comunicamos esse processo. Sabemos que alguns de vocês sentiram que a Apple os decepcionou. Pedimos desculpas", diz a nota da companhia.

A companhia ainda diz que nunca foi sua intenção fazer qualquer coisa para diminuir a vida útil de seus produtos ou para enfraquecer a experiência do usuário.

Por que acontece?

Como da primeira vez a informação sobre a redução da capacidade não foi muito bem explicada, a Apple resolveu abrir o jogo com dados mais técnicos.

Primeiro, a empresa explicou que todas as baterias recarregáveis são componentes consumíveis que se tornam menos efetivos conforme envelhecem quimicamente, fazendo com que sua capacidade de carga seja diminuída.

O número de vezes que a bateria é recarregada não é a única influência para este processo de envelhecimento, mas sim diversos outros fatores, como o superaquecimento, por exemplo.

A companhia ainda explica que esse processo de envelhecimento causa desligamentos repentinos e que esses acontecimentos são aceitáveis.

"Nós não queremos que nenhum de nossos usuários percam ligações, deixem de tirar fotos ou tenham qualquer outro tipo de experiência interrompida com o iPhone se pudermos evitar", afirma a nota.

Solução

Com a atualização para o iOS 10.2.1, há cerca de um ano, a Apple implementou um software que aprimora o gerenciamento de energia dos aparelhos durante picos de uso, evitando os desligamentos.

A empresa diz que, para muitos, a mudança passou despercebida, mas alguns usuários notaram um pouco mais de demora na hora de abrir um aplicativo, entre outras reduções de performance. No entanto, o problema de desligamento inesperado foi reduzido significativamente.

Para que o iPhone não precise mais ter a sua capacidade reduzida, é preciso ser feita a troca da bateria. Este processo é oferecido pela Apple nos Estados Unidos pelo valor de US$ 79, mas, a partir de janeiro, o preço cairá para US$ 29, sendo um desconto de US$ 50. 

O desconto na troca será oferecido para o mundo todo até dezembro de 2018. Os valores no Brasil, claro, são diferentes, mas como não há nenhuma nota oficial exclusiva para o país, é preciso entrar em contato com o suporte da Apple para mais informações.