Maceió

Ato simbólico marca um ano do desaparecimento de Jonas Seixas

Redação TNH1 | 09/10/21 - 11h15 - Atualizado em 09/10/21 - 11h22
Ésio Melo / JAV

Um ato simbólico feito por amigos, familiares e movimentos sociais, na manhã deste sábado, 9, no Calçadão do Comércio, no Centro de Maceió, marcou um ano do desaparecimento do servente de pedreiro Jonas Seixas. 

Jonas desapareceu em 09 de outubro do ano passado após uma abordagem feita por policiais militares, na Grota do Cigano, no bairro do Jacintinho. O pedreiro foi visto pela última vez entrando em uma viatura da Polícia Militar. 

Cinco policiais militares presos acusados de participação no desaparecimento do pedreiro Jonas Seixas foram indiciados pela Polícia Civil pelos crimes de sequestro, tortura, homicídio e ocultação de cadáver. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Criminal da Capital, após parecer favorável do Ministério Público Estadual (MPE), à representação formulada pela comissão de delegados da Delegacia de Homicídios, que investigou o caso.

A Justiça de Alagoas realizou nessa quinta-feira (7) a segunda audiência de instrução do caso. “Ouvimos algumas  testemunhas de acusação. Acredito que ainda teremos mais duas audiências para ouvir testemunhas de acusação e de defesa para que o Juiz decida se os réus serão levados à Júri Popular”, informou o advogado do Cedeca, Arthur Lira.