Maceió

Avô denuncia falta de leitos para trigêmeos na UTI do Hospital Universitário

14/02/18 - 17h26 - Atualizado em 14/02/18 - 18h50
Arquivo Pessoal

O drama vivido pela adolescente Vitória do Nascimento, de 16 anos, parece não ter fim. Há menos de um mês, Vitória, à época grávida de trigêmeos, promoveu uma campanha nas redes sociais a fim de arrecadar fraldas descartáveis.

O nascimento dos pequenos, batizados de Douglas, Vítor e Iuri, não estava programado para fevereiro, mas eles nasceram na noite dessa terça-feira (13), no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPPA), localizado na parte alta de Maceió.

Pesando menos de um quilo cada bebê, a luta agora é para conseguir três leitos na UTI Neonatal do Hospital.

Baltazar Teles, avô dos recém-nascidos,  conta que, por causa do estado prematuro dos trigêmeos,  a equipe médica orientou a internação imediata deles na UTI.

“Como eles estão no centro cirúrgico, a minha nora está muito preocupada. Eles nasceram antes do tempo, são frágeis e precisam desse internamento. Já falei com o pessoal da ouvidoria do Hospital, mas até agora eles alegam que não há vagas”, ressalta.

Ainda segundo Teles, no início da tarde desta quarta-feira (14) a equipe do Hospital Universitário comunicou à mãe dos recém-nascidos que teria surgido apenas uma vaga na UTI.

“Estamos precisando de três vagas. Disseram que tem apenas uma, mas mesmo assim com previsão para o final da noite de hoje”, lamenta.

A reportagem do TNH1 procurou a assessoria de comunicação da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), responsável pela gestão do HU, mas até o fechamento desta matéria não obteve êxito.

A reportagem também tentou contato direto com alguém do Hospital, mas as ligações não foram atendidas.