Maceió

Braskem apresenta plano de fechamento das minas de sal em Maceió

Ascom CPRM | 19/11/19 - 07h46 - Atualizado em 19/11/19 - 11h46
Ascom CPRM

Solicitada pela Braskem, ocorreu na segunda-feira (18/11), no Rio de Janeiro, reunião técnica entre representantes da mineradora e pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

Na ocasião, a Braskem apresentou o plano de trabalho proposto à Agência Nacional de Mineração (ANM) para o fechamento das minas de sal, que inclui monitoramento, preenchimento das cavidades, criação de uma área de segurança em torno dos poços, além de estudos complementares.

O plano de trabalho da Braskem admite que até o momento 14 das 35 cavidades estão desestabilizadas, reconhecendo que o processo de subsidência na região está associado com a extração de sal. Mas não admite que a subsidência seja a causa dos quebramentos e rachaduras no bairro Pinheiro, o que tem sido afirmado pelo Serviço Geológico do Brasil desde a conclusão dos seus estudos, divulgado em 8 de maio deste ano.

Ao final da reunião, o Serviço Geológico do Brasil reiterou as conclusões do relatório técnico, que é conclusivo e foi elaborado por mais de 50 pesquisadores da instituição, que associa tanto os fenômenos de subsidência como o processo rúptil (trincas e quebramentos, que afetam os bairros Pinheiro, Bebedouro e Mutange) como decorrências da extração de sal. 

"