Brasil

Casal é preso suspeito de deixar filhos em casa vendendo drogas para ir à praia

01/08/18 - 11h00 - Atualizado em 01/08/18 - 11h04
Reprodução / TV Clube

Um casal, que não teve as identidades reveladas, foi preso na tarde do último domingo, 29, por ter deixado os filhos vendendo drogas em casa na cidade de Parnaíba, no Litoral do Piauí. Eles teriam ido à praia e não seria a primeira vez que eles ficaram responsáveis pelo ponto de vendas que funcionava na residência.

De acordo com informações da Polícia Militar, que chegou no local após uma denúncia anônima, as crianças eram duas meninas, de 11 e 4 anos, e dois meninos, de 12 e 2 anos. Foram apreendidas na casa 527 pedras de crack, 271 trouxas de maconha, R$116 em dinheiro, balanças de precisão e um revólver calibre 38, com cinco munições.

O garoto de 12 anos conseguiu fugir no momento em que os policiais chegaram, levando uma parte dos entorpecentes e até o momento não foi localizado.

Ainda de acordo com o relato da polícia, a mãe ligou para o celular de uma das filhas no momento em que chegaram a Central de Flagrantes. A ligação foi atendida por um agente e os pais compareceram a delegacia, onde receberam voz de prisão.

Durante a audiência de custódia que aconteceu nesta terça-feira, 31, a mulher disse já ter deixado as crianças nessa situação por mais de uma vez. “Se eu tiver deixado umas duas, três vezes, eu deixei muito. Eu vivia mesmo era dentro de casa, trancada com eles, ele [o marido] é que vivia mais fora do que eu”, contou durante o depoimento.

De acordo com a delegada Rafaela Bezerra, responsável por acompanhar o caso, a menina de 11 anos contou que eles eram instruídos sobre os valores e as pessoas que tinham dependência química. 

Os três menores estão agora sob os cuidados da avó paterna. O caso está sendo acompanhado pela Polícia Civil e Conselho Tutelar de Parnaíba. O casal está preso preventivamente na Penitenciária Mista de Parnaíba e à disposição da Justiça e deve responder pelos crimes de tráfico de drogas, corrupção de menores, abandono de incapaz e posse ilegal de arma de fogo.