Saúde

Casos de óbitos por Covid-19 crescem 30% em Alagoas, aponta relatório da Ufal

Eberth Lins | 15/03/21 - 12h16 - Atualizado em 15/03/21 - 12h41
Foto: Folhapress

Alagoas teve um aumento de 30% nos óbitos causados pela Covid-19 e voltou a superar a marca semanal de 100 mortes pela doença. Essa marca não era registrada desde o início de agosto de 2020, segundo o Observatório Alagoano de Políticas Públicas para Enfrentamento à Covid, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

"A evolução dos casos indica que devemos ter um aumento de casos graves e óbitos nas próximas semanas, o que pode fazer com que ultrapassemos os números observados na primeira onda", ressaltou  o coordenador do Observatório, Gabriel Bádue.

De acordo com o Observatório, os indicadores continuam apontando para o descontrole da transmissão da Covid no estado, o que tem refletido no aumento da incidência de casos confirmados e suspeitos, além do incremento na ocupação hospitalar.

Arapiraca, Maceió e a 10ª Região Sanitária (que engloba os municípios de Água Branca, Delmiro Gouveia, Inhapi, Mata Grande, Olho D'água do Casado, Pariconha e Piranhas) foram as localidades que apresentaram as maiores incidências de casos em relação às suas populações na 10ª Semana Epidemiológica, iguais a 259, 224 e 70 casos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

 A expectativa é da continuidade da expansão de casos nas próximas semanas, o que, na sequência, pode resultar no aumento de casos graves e óbitos.    

O número de casos suspeitos também continua subindo, tendo 15.101 notificações, nesse domingo (14). Considerando que 51% dos exames realizados pelo Laboratório Central (Lacen) na última semana tiveram resultado positivo, o número representa um incremento de aproximadamente 7.500 casos entre os casos confirmados.

Ocupação hospitalar 

Ontem (14), a taxa de ocupação hospitalar dos leitos de UTI estava em 83%, isto é, além do 80% que é o limite máximo recomendado pelo Comitê Científico do Consórcio Nordeste para adoção do lockdown. "Apesar de a oferta de leitos continuar subindo, não tem sido suficiente para conter o aumento da taxa de ocupação. Com isso, a expectativa é de que o governo do estado anuncie novas medidas restritivas ao longo dessa semana", explicou Bádue.