Polícia

Civis suspendem registro de flagrantes nesta tarde contra a Reforma da Previdência

Redação TNH1 | 13/05/19 - 13h51 - Atualizado em 13/05/19 - 14h03
Arquivo TNH1

Uma manifestação de policiais civis de Alagoas contra a Reforma da Previdência resultou na paralisação dos serviços na tarde desta segunda-feira (13). Na Central de Flagrantes I, no bairro do Farol, as atividades estão suspensas desde 13h e devem ser retomadas às 18h. Assim, nenhum registro de ocorrência vai acontecer durante o período.

Segundo o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), a mobilização é nacional e faz parte das ações da Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) em todo o país contra a Reforma da Previdência que “retira direitos dos policiais civis, os quais desempenham atividades de risco”.

Os sindicalistas reivindicam que o Governo Federal, através da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 06/2019, que traz a Reforma, quer acabar com a aposentadoria especial, implantar a idade mínima de 55 anos para aposentadoria, aumentar a alíquota de contribuição previdenciária, que significa redução de salário, e cortar em 50% a remuneração da família com a morte do policial civil, reduzindo pela metade a pensão.

Além disso, a Reforma da Previdência pretende implantar a aposentadoria pelo teto do INSS e extingue a paridade e integralidade dos policiais civis.

Por meio de nota, o presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, informou que a Polícia Civil irá paralisar em todo o Estado de Alagoas. “A mobilização é nacional e atingirá todos os estados do Brasil”, disse.

O TNH1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública de Alagoas e foi informado que o órgão não vai se pronunciar até o momento.