Ciência

Com o objetivo de acelerar treinamento, chineses clonam cães-policiais

A ideia é baratear os custos do treinamento e ter mais controle sobre as habilidades dos animais

Olhar Digital | 25/03/19 - 19h56
Gene | Pixabay

O treinamento de cães policiais pode ser bem caro e cansativo, já que cães tem habilidades e comportamentos diferentes. Para contornar isso, a China teve a ideia de clonar seus melhores cães para economizar tempo e dinheiro no treinamento. A notícia foi dada pelo jornal estatal China Daily.

Uma parceria entre a Universidade Yunnan Agricultural e a empresa de biotecnologia Beijing Sinogene, tornou possível a clonagem e treinamento de um cão da raça Kunming wolfdog. O animal foi batizado de "Kunxun", e foi clonado a partir das células de um exímio cão detetive.

Usando uma técnica que faz a retirada de células somáticas da pele do cão adulto, foi criado o embrião clonado e, logo depois, foi implantado em uma cadela da raça beagle.

O pesquisador Wan Jiusheng disse que o futuro de Kunxun é promissor, já que seu “pai” tem uma boa aptidão para farejar e outras habilidades necessárias em um cão policial. O cão clonado pode entrar em serviço após dez meses de treinamento. Jiusheng acrescentou que o plano é produzir clones de cães policiais em massa, pelos próximos 10 anos. Ele ainda aponta que haverá até um banco de células para ajudar a criar rapidamente uma coleção destes cães.

É claro que a medida levanta questões éticas sobre clonagem de animais, incluindo questões específicas das forças policiais. Nem todo mundo pode gostar da ideia de uma unidade cheia de cães clonados. Há alguns riscos com isso também, caso haja alguma disfunção genética, grande parte dos animais poderá estar vulnerável a doenças ou a outros problemas difíceis de prever agora.

"