Maceió

Combate a assaltos a ônibus muda realidade do transporte coletivo em Maceió

Agência Alagoas | 17/07/19 - 11h52
Abordagens e trabalho estratégico reduziram ocorrências nas linhas da empresa São Francisco | Ascom PM

Com uma média de mil assaltos a ônibus por ano em Maceió, a sensação de insegurança era constante para passageiros e rodoviários e o prejuízo grande para os empresários. Presenciar ou passar por um ato de violência chegou a virar rotina para muitos trabalhadores. Nos últimos anos, esta realidade mudou e a capital alagoana tem conquistado uma redução expressiva desse tipo de crime, que traz cada vez mais tranquilidade para toda população.

Para se ter uma ideia da redução no número de assaltos a ônibus, em 2016 foram contabilizados 1.109 assaltos às quatro empresas que operam em Maceió. Em 2017, o número caiu para 507, quase a metade. Já em 2018, a redução foi ainda mais perceptível, para 325 ocorrências.

Neste ano, o número segue em queda. Segundo dados do Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac), da Secretaria de Estado da Segurança Pública de Alagoas (SSP), o primeiro semestre registrou uma redução nas ocorrências de 71,8% em comparação ao mesmo período do ano passado. No acumulado de janeiro a junho, foram registrados 58 assaltos a coletivos e, no ano passado, o período teve um total de 206 ocorrências.

O mês de junho seguiu a média dos últimos meses e registrou mais uma expressiva redução, contabilizando apenas oito assaltos. No mesmo mês do ano de 2018, foram registradas 37 ações criminosas, o que aponta para 78,4% de redução.

O presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus (Sinturb), Guilherme Borges, considera, entre os fatores determinantes para essa redução, a atuação mais estratégica da Segurança Pública.

“Além do trabalho intensivo dentro dos ônibus, nós percebemos também o aumento das prisões relacionadas a este crime, a polícia investiga e mostra que não é um crime impune. Toda cúpula da Segurança Pública, policiais militares de todos os batalhões e policiais civis desempenham um excelente trabalho. Os passageiros e rodoviários agradecem e se sentem mais seguros”, afirmou.

Borges também contou que as empresas estudam investir em tecnologias para garantir mais tranquilidade aos passageiros e rodoviários e que a parceria com a Segurança Pública é essencial para que os números continuem em baixa.

“No segundo semestre iremos investir em tecnologias e avançar com o projeto de bilhetagem eletrônica. Essa ação visa diminuir a circulação de dinheiro dentro dos coletivos e com isso queremos contribuir com a Segurança Pública para reduzir os assaltos dentro dos veículos. Temos que aproveitar esse momento positivo e de ações importantes para avançar neste sentido”, disse.

Empresa contabiliza melhor resultado do ano

A empresa São Francisco teve seu melhor resultado deste ano, contabilizando apenas um assalto em junho. Segundo o gerente da empresa, Gerson Assunção, foi uma redução bastante significativa, que faz com que a população que utiliza o transporte público e os rodoviários se sintam mais seguros.

“Nós tínhamos uma média de 30, 40 assaltos por mês, em anos anteriores, e esse ano, graças ao trabalho que vem sendo desenvolvido pela polícia, o número diminuiu expressivamente. Este mês tivemos o melhor resultado, com somente um assalto. É muito importante porque a categoria se sente mais segura para trabalhar”, contou.

O secretário de Estado da Segurança Pública, Lima Júnior, parabenizou as polícias pelo trabalho que vem sendo desempenhado e afirmou ser necessária a manutenção as ações de repressão aos assaltos para que a redução se mantenha.

“É importante que os comandantes dos batalhões da capital sigam realizando as operações de abordagens e rondas para que a gente tenha resultados ainda melhores. A Ronda no Bairro vai continuar apoiando o trabalho nas áreas onde atua e isso é fundamental. É com esse envolvimento de todos que vamos continuar registrando redução e servindo de exemplo para o restante do país”, disse.

"