Polícia

Comerciante é morto a tiros por assaltantes em Coruripe; esposa é baleada e sobrevive

TNH1 com Aqui Acontece | 15/08/21 - 16h29 - Atualizado em 15/08/21 - 16h51
Reprodução/Alagoas Web

O comerciante identificado como Jorge Adriano de Moura Filho foi morto a tiros durante assalto nesse sábado, 14, na Estrada da Estiva, na zona rural de Coruripe. A esposa de Jorge Adriano, que estava presente no momento do crime, também foi baleada, mas sobreviveu. Uma quantia de R$ 14 mil foi levada pelos bandidos.

A Polícia Militar informou que funcionários da Usina Coruripe procuraram os agentes da Segurança Pública para relatar um incêndio em veículo. Por meio de ligação telefônica, eles também disseram que havia marca de sangue até a entrada de um canavial, local onde o corpo do comerciante foi encontrado.

Os militares, já no local do crime, tomaram conhecimento de que a outra vítima, de 43 anos, esposa de Jorge Adriano, havia conseguido escapar. Mesmo ferida, ela se escondeu em uma residência nas proximidades e, após ser encontrada pelos policiais, foi encaminhada à UPA de Coruripe, onde foi medicada e liberada em seguida.

A mulher contou que estava retornando da feira com o esposo, onde trabalhavam com comércio de carne. Dois criminosos armados, estando um deles encapuzado, abordaram o casal e anunciaram o assalto. Logo depois, eles realizaram alguns disparos de arma de fogo.

Ainda segundo o relato da companheira de Jorge Adriano à polícia, após ouvir o barulho dos tiros, o homem parou o veículo e entregou seus pertences, além do apurado na feira, a quantia de R$ 14 mil. Mesmo assim, os bandidos deflagraram disparos na direção do mesmo, momento em que ele e a esposa saíram correndo para lados opostos.

A vítima disse ainda que foi atingida por um projétil no braço e que a dupla passou então a perseguir Jorge Adriano, que acabou sendo alcançado e executado com vários disparos de arma de fogo na cabeça. A mulher não soube relatar como o carro pegou fogo.

Foram encontradas três cápsulas de calibre 38 próximas ao carro. No matagal, tinham alguns pertences como roupas, sandálias, bonés, refrigerante e biscoitos.

Peritos do Instituto de Criminalística foram acionados e estiveram no local para realizar os primeiros levantamentos. Eles recolheram todo o material encontrado. 

O cadáver foi conduzido por uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) para a sede do órgão em Maceió, onde foi submetido à necropsia antes de ser liberado para sepultamento.