Rio 2016

Coreia do Sul apresenta roupa especial contra o zika para a Olimpíada

27/04/16 - 10h00 - Atualizado em 27/04/16 - 10h00
Lee Jin-man / AP

A Coreia do Sul foi mais uma das nações a manifestar sua preocupação com o vírus zika durante a Olimpíada do Rio, este ano, e nesta quarta-feira mostrou que fará de tudo para tornar a vinda dos atletas ao Brasil mais segura. O comitê olímpico do país apresentou as roupas que serão utilizadas por sua delegação nos Jogos, já pensando no combate ao mosquito Aedes aegypti.

A entidade apresentou diversos tipos de vestimentas que serão utilizadas pelos atletas fora das competições no Rio, seja nas cerimônias de abertura e encerramento, em treinos ou em momentos de lazer na Vila Olímpica. E todas elas consistiam em calças e camisetas de manga longa ou casacos. Tudo para diminuir a possível área de atuação do mosquito no corpo.

O comitê ainda prometeu que todas as roupas serão embebidas em substâncias que atuarão como repelentes do mosquito e só lamentou que não tenha conseguido realizar mudanças nos uniformes que serão utilizados durante as competições. Mas garantiu que os atletas poderão usar repelentes mesmo quando estiverem em ação.

A epidemia do vírus zika no Brasil preocupa atletas e dirigentes e alguns nomes de peso já anunciaram que podem não vir ao País para a Olimpíada por conta deste problema. Já são mais de 90 mil casos prováveis de zika só em 2016 e o combate ao vírus, que pode causar microcefalia nos bebês de mulheres gestantes infectadas, por exemplo, segue tratado como prioritário.

Uma equipe enviada pelo governo sul-coreano visitou o Brasil e visitou os locais de competição e hospitais do Rio de Janeiro para inspecionar as condições e prevenir sua delegação contra o vírus zika. O comitê do país prometeu em breve divulgar um guia aos atletas explicando como se proteger da epidemia.