Mundo

Coronavírus ultrapassa a marca de 50 milhões de casos no mundo

Exame | 08/11/20 - 19h58 - Atualizado em 11/11/20 - 11h51
Pixabay

Mais de 50 milhões de pessoas no mundo já foram infectadas com o novo coronavírus, de acordo com um levantamento feito pela agência de notícias Reuters e que leva em consideração o aumento de casos pela segunda onda do vírus SARS-CoV-2. Do total de casos, quase um quarto foi registrado somente no último mês.

Com isso, o mês de outubro pode ser considerado como os piores 30 dias da pandemia desde que a doença surgiu na China, ainda no ano passado. Durante este mês, os Estados Unidos foram o primeiro país a registrar mais de 100 mil novos casos da doença em único dia.

O país, que acabou de escolher seu novo presidente em uma disputa acirrada entre Joe Biden e Donald Trump, é responsável por 20% dos casos do mundo. Ontem, enquanto eleitores comemoravam ou lamentavam o resultado das eleições, o país registrou mais de 130 mil novos casos de covid-19.

A segunda onda da pandemia foi responsável por um aumento exponencial no número de novos casos. A Reuters informa que levou 32 das para o número de casos passar de 30 milhões para 40 milhões. Para que o número saltasse para 50 milhões de casos, o tempo necessário foi de somente 21 dias.

Países da Europa tentam impedir a propagação do vírus com estratégias mais agressiva de quarentena, como a adoção do confinamento obrigatório. A Europa é responsável por 12 milhões de casos no mundo e um quarto de todas as 1,2 milhão de mortes registradas por covid-19. A cada três dias, mais de 1 milhão de pessoas é infectada pelo vírus no continente.

Em Portugal, onde mais de 5 mil casos foram registrados somente na sexta-feira (6) – recorde para o país, houve a aprovação de medidas de emergência para contar a propagação do vírus. Na França, a segunda onda da doença forçou o governo a decretar o fechamento de lojas durante o período noturno. A Grécia impôs um novo confinamento.