Polícia

Corregedoria da Polícia vai investigar operação que terminou com 11 assaltantes mortos

09/11/18 - 12h13 - Atualizado em 09/11/18 - 18h08
Reprotagem conversou com o corregedor geral da Polícia Civil. | Reprodução/Google

A Corregedoria da Polícia Civil de Alagoas vai investigar a operação "Cavalo de Troia", onde 11 supostos assaltantes de banco foram mortos. A ação aconteceu ontem em Santana do Ipanema. Segundo a polícia, os homens estariam dividindo o dinheiro fruto do assalto a uma agência bancária em Águas Belas, no estado viziinho de Pernambuco.

O TNH1 conversou com o corregedor Geral da Polícia Civil de Alagoas, Valdeks Pereira da Silva. Ele confirmou a investigação e disse que aguarda o recebimento do boletim de ocorrência do fato para começar a investigação.

“Há uma recomendação do MPE para que todas as vezes que haja vítimas de confronto, seja de operações da Polícia Civil ou Militar, que as corregedorias investiguem os fatos. Nós ainda não começamos nossas investigações, mas devemos fazer isso assim que recebermos o boletim de ocorrência sobre o fato”, explicou.

Mais cedo, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL) se pronunciou, através da Comissão de Direitos Humanos (CDH), onde afirmou que a instituição quer saber mais detalhes sobre a operação.

Segundo o presidente da CDH, o advogado Ricardo Moraes, o secretário de Segurança Pública já foi informado que um ofício será entregue cobrando o esclarecimento dos fatos.

A reportagem tentou contato com o secretário de Segurança, Paulo Lima Júnior, mas ele não atendeu nossas ligações. Já a assessoria de comunicação da SSP informou que não vai se pronunciar, no momento. 

Também tentamos contato com a direção geral da Polícia Civil, que informou através da assessoria de comunicação que os delegados da Divisão Especial de Investigação e Captura, que participaram da ação, é quem irmão comentar sobre a investigação pela Corregedoria.