Alagoas

Covid-19: Seris duplica produção de máscaras e fornece material a hospitais

Agência Alagoas | 02/06/20 - 16h16 - Atualizado em 02/06/20 - 16h35
Agência Alagoas

O Governo de Alagoas permanece firme no combate à Covid-19. E uma das medidas de prevenção ao coronavírus é o uso da máscara de proteção. No sistema prisional, a produção de máscaras segue a todo vapor, com a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) já reforçando o trabalho desenvolvido no Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, onde os reeducandos aproveitam a oportunidade de trabalho no cárcere para contribuir com o enfrentamento à pandemia.

Nesse sentido, a Seris vai dobrar não apenas a confecção de máscaras, como também de capotes cirúrgicos doados a instituições como o Hospital da Mulher, referência no atendimento a pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. Agora, os reeducandos vão produzir duas mil máscaras e um mil capotes diariamente. Ao todo, a oficina de corte e costura do sistema prisional já liberou, desde o início da pandemia, 60 mil máscaras e dois mil capotes.

O aumento é resultado do acréscimo no número de reeducandos (de 25 para 40) que trabalham na oficina. Além de colaborar com a prevenção à Covid-19, a iniciativa também proporciona aos apenados a chance de aprender uma nova profissão, além da possibilidade de remir um dia na pena a cada três dias trabalhado, como estabelece a Lei de Execução Penal (LEP).

Além de proteger o servidor penitenciário, os equipamentos de proteção individual (EPIs) também vêm sendo distribuídos entre os profissionais de saúde do Hospital Portugal Ramalho e da Maternidade Santa Mônica, enquanto outra parte da produção segue para instituições de caridade da capital e interior do estado.

Segundo a gerente de Educação, Produção e Laborterapia da Seris, policial penal Cinthya Moreno, o trabalho busca, principalmente, resguardar a saúde de servidores e reeducandos. “A confecção dessas máscaras tem sido fundamental para a manutenção dos serviços ofertados nas unidades prisionais, reforçando a prevenção ao coronavírus e fomentando a ressocialização. A Seris tem dado todas as condições necessárias para que eles sigam produzindo não apenas máscaras e capotes, mas também o uniforme e os lençóis que utilizam no dia a dia”, explica Moreno.

Outras ações

E a Seris permanece atenta a todas as medidas de enfrentamento ao coronavírus, atuando em consonância com os protocolos de prevenção à Covid-19. Após suspender as visitas e a entrega de alimentos pelos familiares dos reeducandos, evitando, assim, qualquer contato com o público externo, a gestão prisional também promoveu uma grande limpeza e dedetização em todas as unidades, distribuindo luvas, máscaras e álcool 70%.

A Seris adotou, ainda, o sistema home-office para os servidores do setor administrativo, desenvolvendo campanha informativa sobre a importância de se reforçar a higienização dos ambientes, bem como sobre a forma correta de lavar as mãos, entre outros procedimentos. Especial atenção também é dispensada aos reeducandos, que já receberam kits de higiene pessoal, enquanto equipe multidisciplinar da Gerência de Saúde monitora permanentemente aqueles que se enquadram no denominado grupo de risco.

Um hospital de campanha também foi instalado no sistema prisional, a fim de atender reeducandos que apresentem algum sintoma de Covid-19. Some-se a isso a implantação, prevista para os próximos dias, de barreira sanitária na portaria de acesso ao complexo penitenciário de Maceió, com a Seris tendo adquirido dois termômetros digitais infravermelhos, usados para a detecção de possíveis infecções.