Mundo

Criança é estrangulada e morta no Afeganistão e marido é suspeito

01/08/18 - 10h24 - Atualizado em 01/08/18 - 10h24
Reprodução / Twitter

Um homem de Badghis, uma cidade no Afeganistão, é suspeito de espancar e estrangular a esposa, uma criança de nove anos de idade, na noite de domingo (29), segundo afirmam as autoridades locais.

O crime ocorreu devido a "problemas familiares", como afirmou um porta-voz do governador provincial, Naqibullah Amini.

Ele disse que a criança "chamada Samia foi casada com (o suspeito) Sharafuddin por dois anos. O homem fugiu da área após o incidente", disse Amini.

Enquanto isso, o pai da menina foi preso pela polícia "por forçar a filha a se casar com o homem", acrescentou Amini.

Segundo o governo, o marido tem cerca de 35 anos e tem outra esposa. A criança teria sido dada a Sharafuddin como pagamento de uma dívida, sobre a qual não foram informados mais detalhes.

Casamento infantil

O crime vem à tona apenas um dia depois de o Ministério do Trabalho, Assuntos Sociais, Mártires e Deficientes, em cooperação com o UNICEF, ter lançado um estudo abrangente sobre o casamento infantil no Afeganistão.

De acordo com o ministro, Faizullah Zaki, o estudo, baseado em pesquisas anteriores, analisou o casamento infantil no Afeganistão de vários ângulos.

Em seu prefácio, Zaki disse que “a prática do casamento infantil é amplamente contestada, mas nosso entendimento é "estreito" e nossas ações inadequadas”.

 “Vamos mudar essa cultura para que nenhuma criança no país se torne vítima desse fenômeno. Reitero nosso compromisso com a proteção e o bem-estar de nossos filhos. São nossos filhos sobre quem descansa nosso futuro”, disse Zaki.

“O casamento infantil é uma violação terrível dos direitos humanos e rouba as crianças de sua educação, saúde e infância”, diz Zaki. 

Os resultados do estudo, finalizados sob a liderança do ministério, mostram que a situação de segurança, pobreza, crenças profundamente enraizadas e normas sociais colocam as meninas em desvantagem.

De acordo com o relatório, embora tenha havido uma redução no casamento infantil no Afeganistão, ele continua alto. "Na verdade, o casamento infantil caiu 10% em um período de cinco anos".

“Mais ações consolidadas são necessárias pelos diferentes atores da sociedade para pôr fim a essa prática e alcançar a meta de acabar com o casamento infantil até 2030”, disse Adele Khodr, Representante do UNICEF no Afeganistão.