Futebol

CSA marca no fim e vence o Botafogo-SP no Rei Pelé por 1 a 0

TNH1 com Futebol Interior | 21/10/20 - 07h01 - Atualizado em 21/10/20 - 07h04
Matheus Pimenta/CSA

O CSA teve dificuldades na noite dessa terça-feira, mas conseguiu manter o bom momento no Campeonato Brasileiro da Série B ao ganhar do Botafogo-SP, por 1 a 0, no Estádio Rei Pelé, pela 17ª rodada.

O gol marcado por Norberto aos 38 minutos do segundo tempo fez o Azulão chegar aos 23 pontos e subir para a sétima colocação. O time alagoano ainda tem um jogo a menos. Já o time paulista perdeu a quarta seguida e se afundou na zona de rebaixamento, em 18º lugar, com 14 pontos.

AZULÃO MELHOR
A partida começou equilibrada, com cada time criando uma oportunidade. O CSA foi o primeiro a assustar em chute do artilheiro Paulo Sérgio, defendido por Darley. A resposta do Botafogo veio em finalização de Rafinha na rede pelo lado de fora.

Depois, o CSA acordou e passou a criar uma chance atrás da outra. Aos 18, Diego Renan arriscou de longe e exigiu grande defesa de Darley. Na sequência, Pedro Júnior cruzou, a bola passou pelo goleiro e só não encontrou Rodrigo Pimpão porque Gilson tirou para fora.

NA TRAVE
O CSA seguia em cima do Botafogo e depois foi a vez de Yago assustar. A melhor oportunidade do jogo, porém, foi do Pantera. Aos 33, Luciano Castán tirou mal e a bola sobrou para Rafinha chutar no travessão. Na sequência, o Azulão respondeu em chute de Pedro Júnior defendido por Darley.

Aos 41, Paulo Sérgio se antecipou ao zagueiro Wallison Maia e cabeceou para mais uma intervenção do goleiro botafoguense. Ainda antes do intervalo, o camisa 10 ganhou mais uma pelo alto, mas desa vez a bola foi por cima do travessão.

NADA DE GOLS
O CSA não conseguiu voltar com o mesmo ímpeto para o segundo tempo, apesar de ter assustado em chute de Rone na rede pelo lado de fora. O time rodava a bola, mas não encontrava espaços na defesa do Botafogo, que praticamente só se defendia.

Em um dos lances mais bonitos do jogo, Ronaldo cruzou e Wellington Tanque tentou de bicicleta, pela linha de fundo. Enquanto Mozart fez as cinco alterações no CSA antes dos 20 minutos do segundo tempo, Claudinei Oliveira demorou para mexer no Botafogo.