Maceió

Deslizamento de barreira próximo à Josepha de Mello preocupa moradores

Camilla Bibiano* | 24/05/19 - 09h04 - Atualizado em 24/05/19 - 12h22
Henrique Pereira / TV Pajuçara

Moradores das Grotas da Alegria e do Ipanema, no bairro São Jorge, interditaram a Avenida Josepha de Mello na manhã desta sexta-feira (24) em protesto por conta do deslizamento de uma barreira próximo à pista. 

De acordo com os moradores, além da barreira cedendo de um lado da avenida, do outro lado existe um acúmulo de água perto das casas. A Secretaria Municipal de Infraestruitura (Seminfra) foi acionada e enviou uma equipe até o local. 

Segundo policiais que foram até a avenida, o problema ainda não foi resolvido porque a obra foi realizada em parceria com o setor privado.

“Já não é o primeiro contato dos moradores com a Seminfra, que está tentando resolver o problema com o setor de engenharia do shopping da Cruz das Almas, que participou da construção da via”, relatou o capitão Geison, do Gerenciamento de Crise da Polícia Militar.

Por meio de nota, a Seminfra informou que engenheiros da secretaria foram à Avenida Josepha de Mello para conversar com os moradores. "Os técnicos explicaram que a obra de drenagem foi executada pelo Parque Shopping, com inconsistências em relação ao projeto apresentado à Seminfra. A Seminfra já emitiu notificações para que o shopping realizasse as adequações na obra e está aguardando que um novo projeto seja enviado para que o órgão analise e autorize as intervenções necessárias. A última notificação foi enviada no dia 9 de maio solicitando agilidade no processo para recuperação da escada drenante e da tubulação de drenagem, que desmoronaram e interromperam o fluxo das águas pluviais, por baixo da Avenida Josepha de Mello".

O Parque Shopping também emitiu nota onde afirma que, por meio de convênio firmado com a Prefeitura de Maceió, participou da implantação da avenida através do aporte de parte dos recursos financeiros necessários para a construção da mencionada via. "Tal obra foi executada conjuntamente por uma construtora e pela prefeitura de Maceió, cabendo ao Município a aprovação dos projetos, fiscalização das obras e responsabilidade exclusiva pela manutenção e conservação após a entrega da via em 2014 – conforme convênio assinado".

O protesto teve fim por volta das 08h30 da manhã.