Polícia

Em depoimento, pai de bebê morto diz que deu apenas palmadas nas nádegas dele

TNH1 | 01/09/20 - 08h51 - Atualizado em 02/09/20 - 08h28
Arquivo

O delegado Francisco Medson Maia, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), revelou ao TNH1, na manhã desta terça-feira, 1º, que o pai suspeito de estuprar e matar o próprio filho, de apenas dois meses de idade, minimizou as agressões em depoimento à polícia e disse que deu apenas "tapinhas" nas nádegas da vítima.

O bebê agredido foi resgatado com vida por vizinhos no bairro de Bom Parto, em Maceió, nessa segunda-feira, 31, porém não resistiu aos ferimentos e morreu no caminho para o hospital. As testemunhas e a equipe médica que atendeu a criança e tentou reanimá-la perceberam sinais de violência sexual sofrida por ela. O Conselho Tutelar e a Polícia Militar foram acionados.

O delegado que estava de plantão na DHPP contou à reportagem que integrantes do Conselho Tutelar da 4ª Região e vizinhos da vítima procuraram a delegacia para relatar o caso. O homem havia sido preso pela Polícia Militar e posteriormente foi interrogado na delegacia. 

"Ele minimizou as agressões, confessou que agredia, mas diminuía a intensidade. Falava que eram apenas tapinhas no bumbum da criança, e o que aconteceu foi outra coisa, há sinais de estupro. Ele apresenta uma situação totalmente diferente de como a vítima foi encontrada", explicou o delegado.

"Foi um crime bárbaro, mais um que acontece dessa forma. Nós, ontem mesmo, fomos até a residência onde o bebê estava, fizemos os primeiros levantamentos e tudo que foi apurado vai ser usado na investigação da Polícia Civil. Foi um caso muito forte, que realmente choca", completou.

Ainda de acordo com o delegado, o pai do bebê deixou recentemente o Sistema Prisional de Alagoas, onde cumpria pena por roubo. Os vizinhos dele confirmaram que o comportamento do suspeito era agressivo, tanto com a criança quanto com a mãe dela, uma adolescente de 13 anos.

"A mãe talvez esconda as agressões por medo, mas os vizinhos falam que ela era agredida frequentemente. Ela confirmou para a gente que havia deixado o bebê sob os cuidados do pai, pois tinha ido a um posto de saúde. Ele estava sozinho com a criança", disse Maia.

O homem, preso em flagrante, segue recluso na unidade policial e deve ser encaminhado ao Complexo Prisional, na parte alta da capital alagoana, nos próximos dias. 

O caso

O bebê de dois meses foi encontrado em casa, no bairro de Bom Parto, em Maceió, nessa segunda (31), com sinais de violência sexual e física, como olho inchado, roxidão nos braços, dilacerações na região do testículo e lesões graves no ânus. Ele foi levado a uma clínica infantil, porém não resistiu aos ferimentos.

O principal suspeito do crime é o pai da criança. Ele foi denunciado ao Conselho Tutelar e depois capturado pela Polícia Militar, sendo conduzido à sede da DHPP. 

O Instituto Médico Legal (IML) e o Instituto de Criminalística (IC) foram acionados para os procedimentos cabíveis.