Alagoas

Em greve, policiais civis se reúnem nesta terça com representantes do Governo

03/05/16 - 11h00 - Atualizado em 03/05/16 - 11h07

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) volta a se reunir com os secretários de Segurança Pública, Paulo Lima Junior, e o de Planejamento e Gestão, Christian Teixeira, nesta terça-feira (3), às 15 horas, na sede da Seplag.

Os secretários de Segurança Pública e Planejamento apresentarão a proposta oficial do governador Renan Filho. Na última reunião de negociação, intermediada pelo presidente do Tribunal de Justiça, Washington Luiz, foi discutido o piso salarial de R$ 3.600 em quatro parcelas (maio, julho, setembro e novembro), mais o índice da revisão geral dos servidores públicos (IPCA) para dezembro deste ano.

O governo também disponibilizou um orçamento mensal de R$ 300 mil destinado ao pagamento retroativo das progressões, iniciando a partir de maio, além da implantação das progressões até dezembro.

O Sindpol aguarda ainda a apresentação da proposta de revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Subsídio (PCCS), quanto ao tratamento isonômico entre antigos e novos policiais civis.

O presidente do Tribunal de Justiça havia informado que entrou em contato com o juiz Manoel Cavalcante para julgar a ação do adicional de risco de vida, a qual está sem julgamento há quatro anos.

O resultado da reunião será informado à categoria na assembleia geral de avaliação da greve nesta quarta-feira (4), a partir das 14 horas, no Clube de Engenharia de Alagoas, localizado na Rua Capitão Samuel Lins, 11, no bairro do Farol, em Maceió.

Na assembleia geral, os policiais civis decidirão se aceitam ou não a proposta do governo.

Aumento pleiteado é considerado inviável pelo Estado

Na última reunião com o Sindpol, na sexta passada (29), o secretário Christian Teixeira apresentou aos sindicalistas os motivos pelos quais, atualmente, o Estado não poderia conceder o reajuste de 172% na folha da categoria, conforme pleiteado pelo sindicato.

A expectativa do Governo é chegar a um acordo para o fim da greve após a reunião desta terça. "Há um caminho a ser percorrido e estamos confiantes de que juntos resolveremos o impasse. O Sindicato reconheceu que sem diálogo, não há conquistas. E é em busca de soluções que estamos trabalhando", realçou Teixeira, na sexta-feira.