Maceió

Estabilização e drenagem: imóveis começam a ser demolidos no Mutange

TNH1 com Ascom Braskem | 06/01/22 - 11h45 - Atualizado em 06/01/22 - 12h12
Ascom Braskem

O projeto de estabilização e drenagem da Encosta do Mutange, em Maceió, teve a primeira fase iniciada nesta quinta-feira, 06, com a demolição de imóveis. O serviço acontece, neste primeiro momento, na parte mais plana, indicada com a cor vermelha no mapa (veja no fim da matéria). Com aproximadamente 74 mil m², a região tem cerca de 227 imóveis, que estão localizados ao longo da Avenida Major Cícero, na base da encosta. Na sequência, será realizada a demolição das edificações localizadas nas áreas íngremes. 

Para o trabalho, a Braskem disse que tem prevista a contratação de cerca de 70 operários, número que pode chegar a mais de duzentos profissionais no pico do serviço. Toda a área está cercada com tapumes e tem placas de sinalização indicando que apenas pessoas autorizadas podem circular no local.  

Veja imagens:

(Ascom Braskem)
(Ascom Braskem)
(Ascom Braskem)

Ainda segundo a empresa, quatro etapas serão realizadas em uma área com cerca de 200 mil m². A primeira é a demolição de cerca de dois mil imóveis e, em seguida, vêm as obras de terraplenagem para suavizar as inclinações do terreno e a construção de um sistema de drenagem que proporcionará o direcionamento seguro da água das chuvas. Já a quarta e última fase é o plantio de cobertura vegetal, ampliando, assim, a área verde de Maceió.

A previsão é que o trabalho seja concluído até o final de 2022. Cada uma dessas etapas é licenciada e autorizada pelos órgãos competentes, que acompanharão a realização dos trabalhos.

A Braskem também já havia destacado que a obra está prevista no Termo de Acordo Socioambiental firmado entre o Ministério Público Federal e a mineradora, com participação do Ministério Público Estadual, em dezembro de 2020.