Polícia

Esteticista que teria aplicado hidrogel em mulher em resort se entrega à polícia

TNH1 | 11/02/21 - 07h11 - Atualizado em 11/02/21 - 08h18
Susana Thais morreu em 31 de janeiro, no HGE | Arquivo Pessoal

A esteticista que teria colocado hidrogel nas nádegas de Susana Thais Ferreira da Silva, de 33 anos, que morreu horas depois do procedimento, se entregou à polícia nessa quarta-feira, 10. A informação foi confirmada pelo delegado Robervaldo Davino e a mulher vai responder por homicídio qualificado.

Susana Thaís foi a um resort, no último dia 30, no Litoral Norte de Maceió, onde a mulher estava hospedada, para realizar o método irregular de gluteoplastia, pois tinha o sonho de ter silicone nas nádegas. Ela passou mal horas após a intervenção e morreu no HGE, na madrugada de 31 de janeiro.

De acordo com Davino, a esteticista identificada como Marisângela reside em Salvador e havia deixado o resort no dia seguinte do encontro com Susana. Após 10 dias, ela procurou a polícia e prestou depoimento. 

Durante o interrogatório, a mulher de 44 anos confirmou que aplicou hidrogel em Susana no quarto do estabelecimento e confessou que atuou clandestinamente. O local recomendado para o tipo de intervenção é o hospital. 

"A advogada trouxe a Marisângela na delegacia, nós a interrogamos, e ela assumiu o delito que cometeu. Ela sabia que estava errada, que assumia o risco, mas fez por dinheiro. Ela recebeu R$ 1 mil de entrada, e depois o restante do dinheiro. Ela aplicou a substância num ambiente indevido e vamos indiciá-la. Vamos ouvir mais uma pessoa hoje, e depois vamos concluir o inquérito", disse em entrevista ao programa Balanço Geral Alagoas, da TV Pajuçara.

Mesmo com a confissão da substância utlizada, a polícia vai aguardar a conclusão do laudo pericial para ter conhecimento do que foi inserido em Susana. 

Marisângela deixou a delegacia após o depoimento e vai responder o processo em liberdade.

"Espero que a Justiça seja feita"

Abalado com a perda da esposa, o esposo de Susana, Wanderson Dias, destacou que espera que a mulher responsável pela intervenção seja presa. Ela já é considerada suspeita de realizar o mesmo tipo de procedimento em pessoas de outros Estados.

"Eu espero que a Justiça seja feita, e ela pague pelo que fez. Deixou duas crianças órfãs, nosso filho de 4 anos e a filha dela de 13 anos. Isso destruiu o sonho dela e o meu. Nossa casinha... Infelizmente aconteceu isso com ela.", disse.

A morte

Susana Thaís Ferreira da Silva morreu após colocar implantes de silicone nas nádegas fora de ambiente hospitalar, em um resort no Litoral Norte da capital alagoana. 

De acordo com o delegado, a vítima passou mal ao chegar em casa, em Chã da Jaqueira, horas depois do procedimento irregular, e foi levada pelo esposo para o Hospital Geral do Estado (HGE) ainda no sábado, 30, mesmo dia que houve a intervenção. Na madrugada de domingo, 31, Suzana Thaís morreu na unidade de saúde.

"Ela alegou que estava se sentindo mal, estava perdendo a voz. No HGE, os médicos constataram embolia pulmonar, porém não tinha vaga para ela na UTI. Ela ficou no aguardo na área vermelha, mas veio a falecer na madrugada de domingo", disse o delegado.

"Ouvimos o marido da Suzana e fomos ao resort onde foi aplicado o produto. Nós fomos informados pela equipe do resort que a mulher saiu do local às pressas no domingo, entendemos que ela soube da morte da mulher e fugiu. O dono do resort passou todos os detalhes de como era o comportamento dessa mulher", completou Davino.

A mulher teria colocado o anúncio do procedimento estético na internet e chamou a atenção da vítima, que negociou o atendimento por cerca de R$ 4,5 mil.