Saúde

Exagerou? 5 coisas sobre a ressaca que talvez você não saiba

Site Time de Saúde | 01/01/22 - 12h02 - Atualizado em 01/01/22 - 13h21
Pixabay

Dor de cabeça, enjoo, tontura, diarreia, fadiga, mal-estar… há quem compare a ressaca à sensação de gripe. E não é para menos: dá um trabalhão para o organismo combater os efeitos do álcool em excesso. Para ter uma ideia, são envolvidos nesse processo o fígado, o rim e o pâncreas, que precisam acelerar suas funções pra dar conta de metabolizar o álcool e botá-lo para fora do corpo.

‍Todo esse estresse é o que causa essa batelada de sintomas desagradáveis. Mas, afinal, o que é bom para ressaca? Coca-cola, gatorade, antiácido? Ressaca de vinho é diferente de ressaca de cerveja? Dura quantos dias? Por que ressaca dá dor de cabeça?

‍Para ajudar você a tornar seu dia seguinte menos difícil, separamos dados e curiosidades que respondem a muitas das perguntas sobre a ressaca. Confira:

1) Não tem cura, mas tem prevenção - Nem coca-cola, nem café e nem outra dose da bebida que a causou: esqueça todas as sugestões que você já ouviu para curar ressaca. A verdade é que não há nada ainda – além do tempo, claro – que resolva o mal-estar. ‍

Recentemente, lá na Finlândia, pesquisadores juram ter descoberto a solução para acabar de vez com a ressaca: um aminoácido chamado L-cisteína. Em um estudo publicado na revista médica Alcohol and Alcoholism, os cientistas afirmam que a substância contém suplementos vitamínicos que previnem ou aliviam os sintomas relacionados à bebedeira, como dor de cabeça, náuseas, estresse e ansiedade.‍

Enquanto a novidade não chega por aqui de forma segura, o jeito é cuidar do dia seguinte: se possível repousar em local fresco e com pouca iluminação e caprichar na água. ‍

Para prevenir a ressaca - Mais água! Alternar o líquido com a bebida alcoólica mantém o corpo hidratado, dilui a concentração do álcool e, assim, evita a dor de cabeça (literalmente) no dia seguinte. Outra boa dica é nunca beber de estômago vazio. 

2) Tenha paciência, o corpo leva tempo para voltar ao normal - 24 horas é o prazo médio para o corpo voltar "ao normal" após o início da ressaca. Isso, claro, se você não consumir nenhuma bebida alcóolica até lá. Para acelerar essa recuperação, valem as dicas de repouso que demos acima.

3) A cor e o peso do álcool - ‍Que os destilados são os maiores causadores da ressaca não é novidade, mas o que você pode não saber é a influência que a cor da bebida também exerce. Bebidas escuras – inclusive cervejas e vinhos – contribuem mais para um dia seguinte daqueles do que as claras, de acordo com um estudo da Universidade Brown, em Rhode Island. ‍

Isso por causa da alta concentração de compostos congêneres, impurezas que, uma vez metabolizadas, se transformam em formaldeídos, super tóxicos para o nosso organismo.

4) As mulheres sofrem mais com a ressaca - ‍Eis uma verdade dolorida: as mulheres são mais afetadas do que os homens pela ressaca.‍O que acontece é que a mulher tem mais gordura no corpo, enquanto o homem tem mais músculos. E os tecidos gordurosos retêm menos água que os músculos.‍Sendo assim, as mulheres sofrem mais os sintomas gerados pela desidratação que o álcool causa.

5) Toda bebida dá ressaca - ‍Sabe aquele papo do "vou ficar só na cervejinha"? Esquece. Mais do que o tipo de bebida, o que define a intensidade da ressaca no dia seguinte é a quantidade. ‍Nesse sentido, vale guardar o recado: em excesso, toda bebida dá ressaca.Ah, mas algumas não dão mais que as outras? Claro.

‍Conhaque, uísque, vodka e gim, nessa ordem, são as maiores responsáveis pela "mardita". Vinho tinto e cerveja, em grandes doses, também não ficam atrás. O segredo para evitar uma ressaca daquelas, no fim das contas, todo mundo conhece bem: beber com moderação para preservar a saúde, como deve ser.

Por que maneirar no álcool é importante? Sim, para evitar a ressaca você já sabe que é. Mas a longo prazo, para além da dor de cabeça no dia seguinte, beber menos pode te ajudar a viver mais (e melhor!). ‍

Quem diz isso é o estudo Impact of Healthy Lifestyle Factors on Life Expectancies in the US Population (em tradução livre: O impacto dos fatores de um estilo de vida saudável sobre a expectativa de vida da população dos Estados Unidos).

Uma das conclusões da pesquisa foi a de que o consumo de álcool moderado, aliado a outros hábitos saudáveis, como comer bem, não fumar e praticar exercícios físicos, pode aumentar a expectativa de vida em 14 anos para mulheres e 12.2 anos para homens, em comparação a pessoas que não adotam um estilo de vida saudável.

Mas, afinal, o que é "consumir álcool com moderação"? - ‍Segundo o mesmo estudo, consumir álcool com moderação pode variar entre homens e mulheres, conforme os números abaixo: ‍

Mulheres - Em média, 5 a 15 gramas por dia. ‍

Homens - Em média, 5 a 30 gramas por dia.‍

Vale destacar que essa matemática foi feita considerando um IMC (índice de massa corporal) de baixo risco – entre 18.5kg e 24.9kg/m².