Maceió

Exército e Governo assinam convênio que facilitará trânsito na capital

05/05/16 - 14h26

Mais uma etapa foi vencida para a abertura de novas alternativas de fluxo de trânsito na capital alagoana. A cessão da área do 59° BIMtz foi sacramentada pelo ministro da Defesa, Aldo Rebelo, pelo comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Dias da Costa Villas Boas, e pelo general Manoel Pafiadache, responsável pelo Comando do Exército no Nordeste.

Com a assinatura do governador Renan Filho, ocorrida nesta quinta-feira (5) o processo legal de construção do eixo Quartel vai auxiliar o fluxo da principal via de Maceió, a Avenida Fernandes Lima.

“É uma demanda muito antiga que outros gestores estaduais e municipais tentaram e não conseguiram. A ideia é fazer binários para auxiliar a Fernandes Lima. Com a chegada do ministro Aldo Rebelo criou-se momento político para a construção da nova via”, frisou Renan Filho.

A importância dessa obra se reflete na necessidade do alagoano, de um modo geral, não apenas o maceioense, trafegar com mais fluidez proporcionando uma mobilidade urbana satisfatória. A nova via vai cortar o Quartel do Exército seguindo até o bairro de Gruta de Lourdes, na altura do Hipertensão Central.

“A área não está sendo doada, o Estado está comprando para melhorar o trânsito na região, no intuito de melhorar a vida do trabalhador, do estudante, do empresário. É o Governo do Estado voltando a investir na capital”, completou o governador.

De acordo com o general Vilas Boas, o empenho foi grande para viabilizar este convênio. “O conceito das Forças Armadas não se limita apenas em proteger a Pátria, mas sim atender os anseios da sociedade, como está acontecendo nesta data”, enfatizou o oficial.

Para o ministro Aldo Rebelo, a área do bairro do Farol está em expansão. “Para mim é uma alegria contribuir com essa ocasião histórica que cederá está área para a expansão viária em Maceió”, comentou Rebelo. 

Em contrapartida, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) vai ceder um campus avançado para cessão do Instituto de Pesquisa Padiá Calógeras, do Nordeste, que auxilia o Ministério da Defesa.