Maceió

Família de paciente que passou 7 meses no HGE denuncia falta de assistência

TNH1 | 14/02/19 - 14h57 - Atualizado em 15/02/19 - 09h32
HGE | Arquivo TNH1

Márcio Roberto Alves de Oliveira, de 42 anos, teve a vida virada ao avesso em julho do ano passado, quando caiu de uma altura de mais de sete metros, quando trabalhava para uma empresa de manutenção de ar-condicionado, para a qual pestava serviço há mais de um ano.

Desde então, foram meses de internações, uma cirurgia no crânio e muitas dores. Márcio passou os últimos sete meses internado no Hospital Geral do Estado (HGE), e a família diz que nunca havia recebido um laudo sobre o estado de saúde do trabalhador, até que resolveram procurar a Defensoria Pública do Estado.

Márcio, casado e pai de sete filhos, também não recebeu nenhum tipo de assistência por parte da empresa onde trabalhava. O repórter Thiago Correia, da TV Pajuçara, esteve com a família de Márcio e conta mais sobre o drama do trabalhador.

Em nota, o HGE informou que:

O Hospital Geral do Estado (HGE) informa que o usuário Marcio Roberto Alves de Oliveira estava internado nesta unidade hospitalar devido a queda de altura que resultou em traumatismos cranioencefálico e raquimedular. Salienta que ele foi submetido a um procedimento cirúrgico de emergência no HGE para tratar o Traumatismo Cranioencefálico (TCE) onde recebeu os cuidados necessários da equipe multiprofissional. Foi transferido para hospital especializado na realização de cirurgia raquimedular - procedimento que o HGE não é habilitado.

Na última terça-feira (12), a família conseguiu que Márcio fosse transferido para o Hospital do Açúcar, onde está internado atualmente. Em nota, a assessoria do hospital informou que Márcio está realizando exames para chegar a um novo diagnóstico. Confira na íntegra:

O paciente está sob acompanhamento das equipes Clínica e Neurológica e realiza exames para diagnóstico e possíveis tratamentos das sequelas existentes. Ele foi admitido após transferência do HGE, já portando uma lesão crônica na cervical há sete meses, segundo relato da família.